Janaína Deitos: “Florianópolis terá novas prioridades pós-pandemia”

Janaína Deitos defende saúde e creches entre as políticas necessárias para Florianópolis democrática

Foto: reprodução

A pré-candidata do PCdoB à prefeitura de Florianópolis (SC), Janaína Deitos, defendeu no programa Vozes da Cidade da última quinta-feira (18), que a próxima prefeita terá que reajustar prioridades para reconstruir a cidade do ponto de vista econômico e social.

Por Lívia Duarte

Na opinião dela, que é vice-presidente do PCdoB de Florianópolis, se o isolamento imposto corretamente para conter o avanço do novo coronavírus tem conseguido manter, até o momento, baixos níveis de contaminação e poucos óbitos por covid-19 na cidade, os efeitos em outras áreas são intensos e deixarão marcas.

“A pandemia impôs a compreensão de algo pelo quê, nós do PCdoB, lutamos há 100 anos: a necessidade de um estado forte. Um estado indutor do desenvolvimento econômico e social e que possa garantir boas condições de vida para a população”, destacou.

Na opinião dela, problemas como o desmonte do SUS, a falta de emprego e de políticas de saneamento e moradia, “explodiram” com a emergência sanitária. E foram pioradas pela combinação com a crise política causada por Bolsonaro, classificado pela pré-candidata como o “maior aliado do coronavírus no Brasil”.

Advogada especializada em Direito Sanitário pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Janaína é militante feminista. Atua como conselheira municipal de saúde por indicação da Confederação das Mulheres do Brasil. É também servidora da secretaria de estado da saúde e membro da comissão de saúde da OAB de Santa Catarina.

Novas prioridades

Para enfrentar os problemas que ganharam força e tornaram-se evidentes com a pandemia, Janaína defendeu recompor os empregos e retomar a arrecadação entre os pontos centrais em uma política voltada para quem mais precisa. Ela ressaltou que estes são temas que fazem parte dos debates coletivos, realizados pela internet, que tem ajudado a formatar seu futuro programa de governo. [Na foto a seguir, registro de um dos encontros]

Reconhecendo que “o município não pode tudo”, na medida em que há várias responsabilidades divididas entre os três entes da Federação, a pré-candidata do PCdoB a prefeita de Florianópolis ressaltou que há também muito a ser feito a partir da prefeitura.

Neste sentido, enumerou ações como a realização de obras públicas para melhorar a infraestrutura local – o que inclui pressão para que o estado de Santa Catarina tire planos do papel – e uma nova lógica para as compras da prefeitura, que devem, na opinião de Janaína, privilegiar o comércio local, mantendo e gerando emprego.

Ela também ressaltou que os investimentos no polo de tecnologia, que já representa a maior arrecadação na cidade, precisam estar casados com a empregabilidade do povo de Florianópolis – hoje, boa parte da mão de obra para esta área vem de fora.

Especialista da área de saúde, destacou que pontos como a ampliação da cobertura do Programa Saúde da Família, que já atendeu a 100% do município e hoje alcança apenas 74%, bem como o fortalecimento da assistência social são também centrais.

“As pessoas precisam entender que assistência social não é esmola e nem só cesta básica. É um direito Constitucional. Apesar de Florianópolis ter um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) alto, 75 mil pessoas vivem abaixo da linha da pobreza aqui”, destacou.

A pauta da saúde agrega, ainda, a defesa de estratégias para a queda da mortalidade materna por causas evitáveis, que ainda acontece, como explicou Janaína, pela dificuldade de acesso à saúde.

Mulheres e emancipação

Janaína falou também de um antigo compromisso que tem com a cidade: ampliar o número de creches. Em 2012, ela foi candidata à prefeita de Florianópolis pelo Partido Pátria Livre (PPL), agora incorporado ao PCdoB. Na época, esta já era uma de suas principais bandeiras.

“Nós sabemos que a emancipação das mulheres se dá pela possibilidade de terem seus empregos, poderem se sustentar e não ter essa dicotomia entre trabalho e maternidade. E a possibilidade da mulher estar no mercado de trabalho se chama creche. É fundamental. A maternidade é responsabilidade das mães, dos pais e também do Estado. E sabemos que também a violência doméstica está ligada com as condições econômicas”, explicou, destacando que a criação de creches no contexto pós-pandemia faz parte da estratégia para retomada do emprego e da renda no município.

Por falar em emancipação feminina, a pré-candidata do PCdoB destacou a importância das mulheres ocuparem todos os espaços de poder, participando também da política-partidária. Segundo ela, o Movimento 65, lançado pela legenda no ano passado, ajudou a ampliar a diversidade que estará bem expressa na chapa de vereadores que será apresentada a Florianópolis.

“Em uma chapa de vereadores com cerca de 40 pessoas, são 18 pré-candidatas mulheres. É uma vitória muito importante, quase metade da chapa! São mulheres de todas as matizes, líderes comunitárias, do movimento LGBT e do movimento negro, professoras, estudantes, há uma diversidade de perfis em toda a chapa, não só entre as mulheres. Nossa grande anseio é retomar uma cadeira na Câmara e, quem sabe, elegeremos uma vereadora. As candidaturas das mulheres estão bastante avançadas”, comemorou.

Vice-presidente do PCdoB em Florianópolis, Janaína explicou que lá o partido vai implementar um mandato coletivo, com participação de vários suplentes. A ação seria um reconhecimento do esforço coletivo da eleição e ajudaria a expressar diversidade do no dia a dia da ação parlamentar. [Na foto acima, Janaína com camaradas do PCdoB na conferência que indicou seu nome à pré-candidatura]

Força na participação

Como conselheira municipal de saúde, Janaína também ressaltou a centralidade de ampliar os espaços de participação para ter uma Florianópolis realmente democrática.

“Estamos trabalhando em nosso plano de governo com essa visão de cidade democrática, de que os conselhos de direito tem que ser ouvidos pela prefeita. Eles são parcela da população que muitas vezes não está representada na Câmara de Vereadores e precisa ter função ativa na gestão do município”, destacou. Da mesma maneira, ressaltou que outros setores como empresários, sindicatos de trabalhadores e universidade precisam ter voz na cidade.

Assista na íntegra:

Vozes da Cidade 

Vozes da Cidade é o programa do PCdoB para as redes sociais que busca debater a realidade dos municípios e a cidade democrática que pretendemos construir. É transmitido ao vivo pelas redes sociais do partido. Acompanhe seguindo no Facebook e marcando o sininho em nosso canal no Youtube.

A próxima edição é na quarta-feira (17). O entrevistado é o pré-candidato do PCdoB à prefeitura de Vitória (ES), Namy Chequer.

Na quinta-feira (18) o Vozes da Cidade recebe o pré-candidato do PCdoB à prefeitura de Campo Grande (MS), Mário Fonseca.

A primeira edição teve como entrevistada a pré-candidata do PCdoB à prefeitura de Salvador, deputada estadual da Bahia, Olívia Santana. Ela tratou da cidade pretende governar e de como a administração municipal pode contribuir para diminuir a desigualdade e o racismo. ASSISTA.

Também entrevistamos o pré-candidato do PCdoB à prefeito de Belo Horizonte, Wadson Ribeiro. Ele explicou porquê acredita que “BH pode mais” se for implementada uma gestão realmente preocupada com as pessoas. ASSISTA.

SAIBA MAIS:
Acompanhe as lives organizadas por Janaína com os pré-candidatos e pré-candidatas a vereador em Florianópolis nas redes sociais dela.

LEIA MAIS:
PCdoB indica Janaína Deitos pré-candidata em Florianópolis
Pré-candidatas do PCdoB se destacam na disputa por capitais