Plenária Nacional da Saúde do PCdoB dia 30 debate reconstrução do país

A Comissão Nacional de Saúde do PCdoB promove, no dia 30 de maio, a 9ª Plenária Nacional de Saúde, envolvendo comunistas que atuam nas mais diversas frentes da área. O objetivo é colocar em pauta documento elaborado a partir das deliberações do 15º Congresso e das últimas resoluções do Comitê Central, que sistematiza um conjunto de diretrizes para um Plano Emergencial para a Saúde dentro da Plataforma Emergencial de Reconstrução Nacional.

“A comissão vem discutindo a saúde, que é transversal, e como se traduzem, nessa área, os desafios da política, da economia e da luta pelos direitos do povo. A partir desse debate e dessas concepções, foi preparado um documento, que será apresentado na plenária”, explicou Ronald Ferreira dos Santos, coordenador da Comissão Nacional de Saúde do PCdoB e ex-presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS). A plenária será totalmente virtual (via Zoom) e para participar, é preciso fazer inscrição prévia (clique aqui).

A ideia é mobilizar e ouvir as e os comunistas das mais diversas frentes que tenham relação com a saúde. “Nós temos uma presença importante nos movimentos sociais, no parlamento, na gestão, na academia, na formulação e entre os trabalhadores da saúde. Então a ideia é termos breves informes dessas frentes que atuam além, é claro, da nossa Executiva Nacional”, colocou.

O tema da plenária, “A saúde na reconstrução nacional”, tem o objetivo, conforme explica Ronald, “de fazer a ligação dessa área específica com o que nós acumulamos ao longo do tempo no partido, no processo das eleições municipais de 2020 e até em 2018 quando nós já havíamos trazido propostas importantes para o debate programático do enfrentamento aos problemas das políticas públicas de saúde”.

Debate central para as eleições

Ronald acrescentou que, ao longo do tempo, o PCdoB foi elaborando um conjunto de compreensões importantes dos principais gargalos e desafios da garantia do direito à saúde para o povo brasileiro. O documento elaborado pela comissão aponta que “o Sistema Único de Saúde (SUS) possui papel estratégico na garantia do direito à saúde do povo brasileiro, como ficou evidenciado no combate e enfrentamento à pandemia de Covid-19″.

Também destaca que “neste sentido, e considerando a importância civilizatória que o SUS representa para a democracia e o desenvolvimento humano, social e econômico do nosso país, o PCdoB lança proposta para o fortalecimento e a revitalização do seu caráter público e universal, com garantia de acesso integral e de qualidade a todo cidadão brasileiro e a toda cidadã brasileira, destacando de imediato e de forma urgente, a ampliação do financiamento por parte do governo federal, com o estabelecimento de um piso emergencial que acrescente pelo menos 35 bilhões ao orçamento atual”.

Ronald salientou que a plenária “pretende contribuir com esse debate, seja do ponto de vista programático, seja do ponto de vista de instrumentalizar e subsidiar nossos camaradas que irão participar do processo eleitoral. Pensando nisso, foi preparado o documento que está sendo distribuído previamente no processo de convocação, com as diretrizes de reconstrução nacional”.

De acordo com Ronald,  é preciso “transformar os debates em torno da saúde em tarefa principal deste ano, com a perspectiva de apresentarmos soluções concretas para as demandas do povo e para derrotarmos o bolsonarismo. Ou seja, formatar uma antítese a esse governo de destruição nacional que atinge especialmente a saúde. Os quase 700 mil brasileiros que a Covid vitimou é a prova concreta das consequências desse processo de desconstrução nacional onde a saúde ocupa um espaço importante”.

Clique aqui para se inscrever

Leia aqui o documento elaborado pela Comissão Nacional de Saúde do PCdoB

Por Priscila Lobregatte