PCdoB repudia ação que culminou em chacina na Favela do Jacarezinho

Os presidentes do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) do Rio de Janeiro e do comitê municipal da capital carioca, assinam nota conjunta de repúdio à chacina ocorrida na Favela do Jacarezinho, Zona Norte do Rio, em que uma ação da Secretaria de Segurança do Estado deixou um saldo de mais de 25 pessoas mortas.

Moradores denunciam através de vídeos publicados nas redes sociais que os policiais estão entrando nas casas e assassinando pessoas a sangue frio.

“Execução sumária não é política de segurança! Estado precisa de política pautada pela inteligência”, frisou a deputada federal, Jandira Feghali, do PCdoB-RJ.

A nota da direção do Rio recorda ainda que recentemente o Supremo Tribunal Federal (STF) havia proibido operações em favelas neste momento de pandemia.

“O PCdoB se solidariza com as famílias e os trabalhadores e trabalhadoras que tem cotidianamente as suas vidas ameaçadas, postas em perigos e com as rotinas alteradas por conta de operações policiais criminosas que ceifam a vida de inocentes”, diz o documento.

Confira a íntegra da nota:

Corpos no chão, lares violados e metrô paralisado. Essas foram algumas lamentáveis cenas da chacina ocorrida hoje no Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro. Até o presente momento são 25 mortos e outras dezenas de feridos, inclusive, passageiros do metrô que passavam pela estação de Triagem.

Esta é a primeira operação militar de Cláudio Castro como governador. O vice de Witzel, agora governador, foi eleito com um discurso bélico e de enfrentamento contra a própria população. Lembramos que esse tipo de operação em favelas já foi proibido pelo STF a partir da ADPF 635 (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) que coloca como recomendação a não realização de nenhuma operação em favelas do estado do Rio de Janeiro durante esse momento de pandemia. Contudo, tal determinação é sistematicamente ignorada.

O PCdoB se solidariza com as famílias e os trabalhadores e trabalhadoras que tem cotidianamente as suas vidas ameaçadas, postas em perigos e com as rotinas alteradas por conta de operações policiais criminosas que ceifam a vida de inocentes. O Rio precisa de PAZ e isso se realiza a partir da geração de empregos para combater a fome e não com ações violentas e desproporcionais contra o nosso próprio povo.

Chega de chacina! Chega de violência!

Por um Rio desenvolvido, democrático e de Paz!

João Batista Lemos

Presidente Estadual do PCdoB-RJ

Rodrigo Weisz

Presidente Municipal do PCdoB Carioca

—-

Leia mais:

 

Jandira cobra governador por violenta operação policial no Rio