Orlando Silva: é preciso erradicar as violências que o povo enfrenta

Orlando, ministro Barroso e Jan Jarabe em reunião nesta segunda-feira (30)

Foto: Nelson Jr./STF

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, se reuniu nesta segunda-feira (30) com o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, e o representante do Alto Comissariado dos Direitos Humanos da ONU para a América do Sul, Jan Jarabe.

O encontro tratou dos garimpos ilegais em terras Yanomami, despejos durante a pandemia, aumento da letalidade policial, desaparecimentos realizados por ação de agentes do Estado e a violência política. “Como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, insisto na importância de buscarmos meios para erradicar as diversas violências que o povo brasileiro enfrenta”, disse Orlando pelas redes sociais.

Leia também: Deputados vão ao STF cobrar respostas sobre chacina na Vila Cruzeiro

Durante a reunião, entre outras questões, Jan Jarab salientou que a ONU acompanha os casos de violência policial no Rio de Janeiro e outros envolvendo a Polícia Rodoviária Federal, como o caso de Genivaldo Santos, em Sergipe, e outro em Varginha (MG).

Foto: Nelson Jr./ STF 

Sobre isso, deputado Orlando Silva lembrou, conforme noticiado pelo site do STF, que o Brasil tem compromissos internacionais no âmbito dos direitos humanos que devem ser cumpridos. “É preciso investigar esses casos. A impunidade é nosso adversário”, apontou.

Na semana passada, dois fatos extremamente graves explicitaram, mais uma vez, a urgência de haver medidas para enfrentar a violência policial e punir responsáveis por esse tipo de crime. Um deles foi o assassinato, por agentes da PRF, de Genivaldo Santos, ocorrido no dia 25, em Umbaúba (SE). Ele foi vítima de asfixiamento dentro de uma viatura da corporação.

Já no dia 23, uma nova chacina no Rio de Janeiro, desta vez na Vila Cruzeiro, deixou ao menos 23 mortos, segundo dados oficiais. Esta foi a segunda chacina mais letal ocorrida no estado. Também em maio, em 2021, 28 pessoas foram mortas na favela do Jacarezinho.

Leia também: PCdoB-SE exige justiça para Genivaldo e punição severa aos policiais

 

Por Priscila Lobregatte
Com informações do STF