Jandira Feghali recebe apoio de feministas no Rio

Diante do atual governo, que massacra a existência e as conquistas históricas das lutas feministas, fortalecer a rede de mulheres é uma necessidade para enfrentar os desafios impostos por uma sociedade contaminada pelo veneno do conservadorismo, que todos os dias ameaça a vida de centenas de nós. Com esse objetivo, o “Encontro de Mulheres com Jandira”, realizado na quinta-feira (12), em Laranjeiras, foi mais um passo na construção de um novo projeto político que inclua e proteja todas as mulheres deste país, com justiça e representatividade. A mestre de cerimônia foi a vereadora de Niterói, Walkiria Nictheroy (PCdoB).

“Em um Brasil que registra um estupro a cada sete horas, e mais de 1.300 mortes por feminicídio em 2021, números que só crescem a cada ano, é urgente que as mulheres se organizem em torno de uma pauta de sobrevivência. Essa sobrevivência passa por todos os campos, desde a segurança, o trabalho, a saúde, a justiça, a educação, até a economia”, destacou a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

Ao longo da sua história, Jandira atuou fortemente junto às pautas das mulheres, tornando-se uma das principais lideranças feministas  no parlamento. Foi relatora, por exemplo, da Lei Maria da Penha, que protege vítimas de violência doméstica e é um marco histórico no país, e do direito à  licença-maternidade para mãe adotante. Além dessas e de outras iniciativas, Jandira foi autora das leis de proteção para as Gestantes e Puérperas na Pandemia de Covid-19  e do Reconhecimento ao Trabalho Materno.

Leia também: Vitória em 1º turno dará força para desmascarar “armação” contra as urnas, diz Jandira Feghali

“Precisamos eleger mulheres combativas como Jandira em 2022”, afirmou Ana Rocha, Secretária Estadual da Mulher do PCdoB no Rio de Janeiro: “No Rio de Janeiro, ela tem sido porta-voz e articuladora de fundamentais pautas democráticas e progressistas, uma defensora firme do Brasil e seu povo, da cultura e das mulheres, com diversas ações nessas áreas. Vemos em Jandira uma mulher que, de fato, atua em defesa dos direitos e sempre aberta ao diálogo. Uma voz que ecoa nossa esperança por um Brasil justo e igualitário para homens e mulheres, de igualdade racial e sem LGBTIfobia. Um exemplo para inspirar outras mulheres.”

O encontro, no restaurante Severyna, em Laranjeiras, contou com a presença de diversos nomes da luta feminista do Rio de Janeiro, como Leila Linhares. Na oportunidade foi lançado um Manifesto das Mulheres de apoio a Jandira. O documento, encabeçado por Leila Linhares, Carol Proner, Malvina Tuttmsn e Mary Castro, denuncia que as mulheres foram as mais atingidas pela pandemia de Covid-19.

Leia também: Lei Aldir Blanc 2: veto de Bolsonaro é puramente ideológico, diz Jandira

“Nos últimos anos, fomos as que perderam 94% dos postos formais de trabalho, as que tiveram a vida atingida pela mortalidade materna que dobrou no estado do RJ, e as que são agredidas a cada 7,5 segundos. Tudo isso somado à destruição de políticas , como a licença-maternidade. Com esse governo enfrentamos a maior carestia dos últimos 25 anos, trazendo a fome para os nossos lares”, diz o texto. “A resistência se faz necessária contra o desmonte das conquistas alcançadas por nós. Será decisivo derrotar nas urnas os representantes conservadores a nível nacional e estadual, e eleger uma maioria progressista . É fundamental vencer a atual sub-representação feminina”, acrescenta ainda o documento.

Leila Linhares Barsted e Jandira Feghali

Com a presença de cerca de 100 lideranças, o encontro foi um momento para ouvir as demandas das mulheres. Fizeram propostas: Leila Linhares, da ONG Cepia, sobre os desafios da Lei Maria da Penha; Leila Motorista e Débora Demelechi, representantes da CTB, sobre as demandas das trabalhadoras; Célia Regina Domingues, p´residente da Amebrás, sobre demandas dos artesãos do Carnaval; além de outras lideranças presentes, como Carol Proner, Dani Balbi e o grupo de jovens. Jandira encerrou o encontro, assumindo o compromisso de encaminhar projetos de leis sobre os temas sugeridos e reforçou a esperança na força das mulheres para a necessária virada democrática no Brasil.

Conheça a íntegra do manifesto:

Dias Mulheres virão com Jandira! Democracia, teu nome é mulher!

A História nos mostra que é nos momentos de avanço democrático que as conquistas libertárias das mulheres avançam. O atual governo autoritário e conservador é um perigo para nós. Os estudos comprovam que fomos as mais atingidas pela pandemia de covid-19.

Nos últimos anos, fomos as que perderam 94% dos postos formais de trabalho, as que tiveram a vida atingida pela mortalidade materna que dobrou no estado do RJ, e as que são agredidas a cada 7,5 segundos. Tudo isso somado à destruição de políticas, como a licença-maternidade. Com esse governo enfrentamos a maior carestia dos últimos 25 anos, trazendo a fome para os nossos lares.

A resistência se faz necessária contra o desmonte das conquistas alcançadas por nós. Será decisivo derrotar nas urnas os representantes conservadores a nível nacional e estadual, e eleger uma maioria progressista . É fundamental vencer a atual sub-representação feminina.

Mas não basta elegermos mulheres. É preciso eleger aquelas que sabemos são comprometidas com o desenvolvimento e soberania do país, com a democracia, os direitos das trabalhadoras, com a pauta antirascista e feminista. Nossa pauta é a retomada e o avanço nos direitos das mulheres, e de ocupação dos espaços de poder: queremos emprego digno, saúde integral, educação e segurança para nós e para os nossos. Exigimos dignidade!

No Rio de Janeiro, JANDIRA FEGHALI tem sido porta-voz e articuladora de pautas democráticas e progressistas. Defensora intransigente do Brasil e seu povo, da cultura e das mulheres. Inúmeros são os seus projetos que têm essa marca. A nossa marca. Vemos em Jandira uma mulher combativa e sempre aberta ao diálogo. Uma voz que ecoa nossa esperança por um Brasil de direitos iguais para homens e mulheres, de igualdade racial e sem LGBTIfobia. Um exemplo a inspirar outras mulheres.

Ela ouve, ela faz! Conheça o que Jandira Feghali já conquistou no Congresso Nacional com o seu mandato:

– Gravidez não é doença! Jandira foi a 1ª licença-maternidade do parlamento, recusando-se a entrar de licença médica

– Mulher nos espaços de poder! Jandira foi a 1ª mulher presidenta da Comissão de Cultura, além de líder do PCdoB e da Minoria em uma Câmara onde as lideranças, majoritariamente, são ocupadas por homens

– Lei que obriga os planos de saúde a custearem a cirurgia de reconstrução de mama em pacientes com câncer (Lei no10.223/2001)

– Inclusão da ativista Zuzu Angel e a psiquiatra militante Nise da Silveira no livro dos Heróis e Heroínas da Pátria (Lei no 13.433/2007)

– Proteção para as gestantes e puérperas na pandemia de covid-19 (Lei no 14.152/2021)
MU

– Reconhecimento ao Trabalho Materno (autoria do Projeto de Lei no 2.691/2021)

Relatorias

– Lei Maria da Penha
– Licença-maternidade para mãe adotante