Vanessa: Precisamos resgatar um governo que se preocupe com as pessoas

A senadora do Amazonas pelo PCdoB e líder do partido no Senado relata que a Medida Provisória de Michel Temer mascara a reforma trabalhista e piora a situação de trabalhadores, principalmente para mulheres. E defende que a política deve oferecer mais assistência e apoio para a população.

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que também é procuradora especial da mulher no Senado, colocou-se veementemente contra às mudanças trabalhistas que entraram em vigor no último sábado (11). Ela expôs que as alterações colocadas por Michel Temer na Medida Provisória, na terça-feira (24), apenas mascararam a reforma trabalhista, principalmente no caso de mulheres gestantes e lactantes.

“O projeto aprovado originalmente permitia o trabalho insalubre dessas mulheres. Agora, ele fez com que a mulher tenha que abdicar do trabalho. Ela tem essa liberdade de dizer ou não se quer continuar no trabalho insalubre, podendo ser afastada. Mas nesse caso ela perderia o adicional de insalubridade. Na prática, ele está forçando as mulheres a continuar trabalhando em lugares insalubres”, explicou Vanessa Grazziotin.

Como contraproposta às mudanças governistas, a parlamentar defende o posicionamento do PCdoB em planejar o lançamento para candidatura à presidência em 2018. E também sobre novas propostas que surgirão em momentos de trocas e discussões provenientes do 14º Congresso do Partido, que se encerra neste domingo (19).

“Apesar de ser um período de muita dificuldade é um Congresso de extrema unidade. E mais do que nunca, o PCdoB se mostra disposto a enfrentar todo esse problema e ajudar a mudar a situação do país”, explica a senadora. “A candidatura de Manuela também é algo muito novo, mas a militância está muito unida em torno dessa candidatura, que obviamente não nasce para dividir, mas nasce para ajudar a trabalhar a união”, conclui.

De Brasília, Lis Gabriela Cappi