Conferência do PCdoB-SP prega unidade e aprova integração com o PPL

Em clima de muita empolgação e unidade, a Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-SP debateu neste sábado (23), no Sindicato dos Engenheiros de São Paulo, a incorporação do PPL (Partido Pátria Livre) ao PCdoB.
A atividade reuniu 260 participantes, entre eles 108 delegados de 60 municípios, e elegeu os delegados que representarão o estado de São Paulo no Congresso Nacional Extraordinário do PCdoB, em 17 de março, também na capital paulista.
 

Renato Rabelo fez a atualização de conjuntura, enquanto Rovilson Brito apresentou a proposta de Resolução do PCdoB-SPRenato Rabelo fez a atualização de conjuntura, enquanto Rovilson Brito apresentou a proposta de Resolução do PCdoB-SP

A Conferência teve como ponto de partida a atualização de conjuntura feita pelo presidente da Fundação Mauricio Grabois, Renato Rabelo, e a apresentação da proposta de Resolução do PCdoB-SP, apresentada pelo vice-presidente estadual do Partido, Rovilson Brito. Os delegados relizaram debate acerca dos desafios do PCdoB para o próximo período, deliberando resolução com os principais encaminhamentos para o conjunto da militância no estado.

Uma das prioridades do, de acordo com a resolução aprovada, será “promover amplo debate com os dirigentes, militantes e filiados do Partido”, a fim de “realizar o reposicionamento tático dos comunistas diante do novo ciclo bastante adverso que se abre. Elementos centrais desse reposicionamento são: resistência e acumulação de forças; amplitude nas bandeiras e nas formas de luta; sagacidade para explorar as contradições e construir a Frente Ampla em defesa da Democracia, da Nação e dos Direitos Sociais; fortalecimento político e organizativo do Partido”.

A Conferência contou com a presença de convidados PPL, com destaque para seu presidente estadual, Miguel Manso, que saudou a conferência, logo após o presidente estadual do PCdoB, deputado Orlando Silva, dar as boas-vindas aos novos camaradas. Por unanimidade, foi aprovada a incorporação do PPL ao PCdoB.

À dirigente estadual Marcia Quintanilha, coube realizar homenagem a Inês Puppo, militante histórica do PCdoB, que faleceu há 30 dias. Também foi aprovada uma Moção de Repúdio às ameaças intervencionistas na Venezuela.

Auditório lotado: a Conferência reuniu 260 participantes, entre eles 108 delegados de 60 municípios
Leia abaixo os documentos aprovados na Conferência do PCdoB-SP:
Resolução da Conferência Extraordinária Estadual do PCdoB- SP
Os delegados presentes na Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-SP decidem:1. Promover amplo debate com os dirigentes, militantes e filiados do partido, tendo por base o documento nacional, buscando realizar o reposicionamento tático dos comunistas diante do novo ciclo bastante adverso que se abre. Elementos centrais desse reposicionamento são: resistência e acumulação de forças; amplitude nas bandeiras e nas formas de luta; sagacidade para explorar as contradições e construir a Frente Ampla em defesa da Democracia, da Nação e dos Direitos Sociais; fortalecimento político e organizativo do Partido.

2. Preparar o partido para realizar oposição ampla, firme e decidida ao governo Bolsonaro e suas medidas; apoiar plano de luta do Fórum das Centrais e das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo em defesa da Aposentadoria e Previdência Pública, com destaque imediato para o 8 de março e 1º de maio. Apoiar a campanha Lula Livre. Defender a soberania e a paz na Venezuela, repudiando a ação dos EUA e a subserviência do governo brasileiro nas provocações contra o Governo Venezuelano;

3. Realizar um debate aprofundado sobre o caráter, a composição e as medidas do governo Dória, tendo como base o texto apresentado pelo Comitê Estadual, visando balizar nossa ação oposicionista;

4. Iniciar desde já, no âmbito dos municípios, o debate sobre o nosso projeto eleitoral de 2020, que deve levar em conta a necessidade de chapa própria barra o legislativo, estimulo à participação das mulheres e, em todos os lugares em que couber lançar candidaturas majoritárias;

5. Esse projeto eleitoral deve estar em sintonia e a serviço da renovação das linhas de construção partidária, visando nosso crescimento e fortalecimento entre o povo, em especial entre os trabalhadores, principalmente nos grandes municípios;

6. Dedicar especial atenção à construção do projeto eleitoral e de renovação das linhas de construção partidária para o Partido da Capital, por sua centralidade;

7. Lançar campanha de filiação partidária. Cuidar mais e melhor do partido, incentivando os municípios a terem funcionamento democrático, planejamento e estruturação desde as bases. Trabalhar desde já para constituir fundo financeiro para a batalha de 2020;

8. Realizar esforços concentrados na Formação dos nossos dirigentes, militantes e filiados, para o enfrentamento do debate político e ideológico; dar mais eficácia à nossa comunicação;

9. Reorientar toda nossa ação no movimento social visando bandeiras e formas de luta condizentes com a nova realidade adversa e com o conhecimento mais efetivo da realidade dos municípios e do Estado, evitando o isolamento e buscando seu fortalecimento junto aos seus representados;

10. Mobilizar toda a militância para as lutas desse semestre e para a construção política e material do partido, preparando o processo de Conferência Estadual Ordinária, que se realizará no segundo semestre.

São Paulo, 23 de Fevereiro de 2019

A Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-SP

Incorporação do PPL

A Conferência Extraordinária Estadual do PCdoB-SP saúda e apoia a decisão das Direções Nacionais do PCdoB e do PPL de construir unidade através da incorporação dos novos camaradas em nosso partido e nossas lutas.

São Paulo, 23 de fevereiro de 2019

A Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-SP

Moção de Repúdio

O PCdoB-SP, em Conferência Estadual Extraordinária, vem através desta moção colocar-se contra toda e qualquer tentativa de intervenção à Venezuela, tanto militar quanto disfarçada de ajuda humanitária.
São Paulo, 23 de fevereiro de 2019A Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-SP

Homenagem a Inês Puppo
Em meio a tantas notícias horríveis que temos vivido com os sobressaltos que assolam a Nação, os comunistas de Campinas, São Paulo e de todo o país receberam a triste notícia no dia 23 de janeiro passado de que a socióloga e camarada comunista de 40 anos de Partido – Inês Pupo havia falecido.Exatamente há um mês.

Inês, uma grande lutadora, era militante da época mais dura da clandestinidade desde 1977. Casada com o também camarada Fernando Vaz Pupo, que foi membro do Cmitê Central e presidente do PCdoB-SP, era mais que militante: era um quadro político e ideológico de grande magnitude. Além de dirigente comunista do nosso PCdoB, esteve em trabalho de direção nacional junto ao Comitê Central do Partido nos anos ainda difíceis da recém-legalidade em 1985.

Feminista, foi uma das fundadoras da União de Mulheres em Campinas e depois, já em São Paulo, teve tarefas na direção da UBM-SP.

Sua dedicação ao Partido fez com que ela, Fernando e seus filhos tivessem que mudar muitas vezes de estado (BA, SP, DF), além de muitas cidades, alterando profundamente as suas vidas. Inês jamais reclamou. Sua vida era inteiramente dedicada ao Partido.

Queremos homenagear a camarada por ocasião desta Conferência Extraordinária do PCdoB de São Paulo, momento em que referendamos a incorporação do Partido Pátria Livre às fileiras comunistas.

O PCdoB foi extremamente importante na sua vida. Amigos mais próximos relataram que, mesmo nesses últimos momentos, no silêncio da sua doença, quando se tocava em alguma questão relevante da vida partidária, rompia uma energia que a fazia se manifestar como concordando com a ação partidária.

Com certeza ela estaria aplaudindo este novo momento. De resistência. De coragem.

Inês não será esquecida pelos comunistas e revolucionários brasileiros, entre tantos outros. Por isso dizemos em alto e bom som: Inês, você está presente!

São Paulo, 23 de fevereiro de 2019A Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-SP