Zelensky posta foto de soldado com emblema nazista no Dia da Vitória

O desenho exibido pelo soldado ucraniano era o da Totenkopf, divisão das SS que atuava nos campos nazistas de extermínio

(Imagem Instagram de Zelensky)

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, publicou uma fotografia de um soldado ucraniano carregando um distintivo da Alemanha nazista em postagem comemorando o Dia da Vitória.

O soldado ostentava no peito o emblema da 3ª Divisão SS Totenkopf, que atuava nos campos de concentração extermínio hitleristas.

A publicação, que também tinha outras nove fotos, foi ao ar no Instagram e no Telegram. A desastrosa repercussão fez com que ela fosse editada de modo que somente a foto soldado nazi-ucraniano fosse retirada.

Nos muitos comentários, internautas repudiaram a presença de um símbolo nazista em uma publicação que “comemorava” a vitória sobre o nazifascismo na 2ª Guerra Mundial.

Os comentários, feitos antes que a publicação fosse editada e a foto do nazista retirada, questionam: “Aquele cara da primeira foto não está usando um dístico das SS da Alemanha nazista ou estou errado?”. “No dia da vitória sobre o nazismo, você coloca uma foto de um soldado das Forças Armadas da Ucrânia com o crânio [Totenkopf] da divisão SS?”.

Outro usuário ainda ironizou, perguntando se o dia 9 de maio era, para Zelensky, um “dia de luto, e não um dia de vitória”.

A mesma publicação com a foto do soldado nazista foi feita nas contas oficiais do Ministério da Defesa da Ucrânia, mas também foi excluída. O caso foi registrado pelos jornais Ria Novosti, RT News e TV Zvezda.

Defesa ucraniana designa membros do Azov de heróis

Ainda nas publicações feitas no Dia da Vitória, o Ministério da Defesa da Ucrânia postou fotos mostrando como “os Heróis de Mariupol se parecem”, sendo que pelo menos um desses “Heróis de Mariupol” é, entretanto, um nazista membro do Batalhão Azov.

A primeira pessoa que aparece na publicação carrega na farda o distintivo onde pode ser lido “Azov”.

O Batalhão Azov é uma milícia criada em 2014, quando seus elementos centrais participaram de um golpe de Estado – instigado e acompanhado pelo governo dos EUA – na Ucrânia, que tem inspiração nazista e utiliza abertamente os símbolos da Alemanha nazista, como o brasão de divisões da SS e o “Sol negro”.

Ainda em 2014, o Batalhão Azov foi incorporado às Forças Armadas da Ucrânia e passou a receber, oficialmente, recursos do governo para se armar e fortalecer. Agora recebe aclamação direto do governo ucraniano.

O grupo é responsável por parte dos massacres que são realizados contra os moradores da região do Donbass há oito anos. O Batalhão perseguiu, torturou e matou aqueles que criticavam o golpe e reivindicavam maior autonomia para as regiões de Donetsk e Lugansk.

O Batalhão Azov ficou como responsável por coordenar o confronto com as forças populares que atuam na libertação da cidade de Mariupol junto com as tropas russa e foi derrotado, mesmo usando artifícios execráveis como operações de bandeira trocada ou utilizando moradores como reféns. Atualmente, seus membros que ainda estão vivos se esconderam dentro dos túneis e abrigos antibombas da metalúrgica Azovstal.