Uruguai faz greve geral contra cortes na Educação, Saúde e moradia

A greve foi acompanhada de concentrações em 15 pontos de Montevidéu | Foto: EFE

Sob a consigna “Por um orçamento popular, por um Uruguai em movimento”, o presidente Luis Lacalle Pou enfrentou a primeira greve geral de 24 horas, seis meses depois de assumir o governo.” Hoje não foi só mais um dia no acontecer diário do país”, assinalou o líder do Plenário Intersindical de Trabalhadores – Convenção Nacional de Trabalhadores (PIT-CNT), Fernando Pereira, que ainda destacou a alta participação popular na iniciativa sindical.

A Lei de Urgente Consideração (LUC), novo projeto de orçamento nacional que se debate no Congresso, é questionada nos seus aspectos centrais pelos trabalhadores. A central sindical exige que se incluam recursos para a educação, a moradia e a saúde e que o projeto abandone seu caráter neoliberal e se posicione “contra os ajustes [itens de arrocho]” que dão o tom das propostas. Também reivindica a participação ativa do Estado na reativação econômica e a criação de empregos.

A greve contou com adesão massiva de funcionários públicos, trabalhadores do transporte, bancos, construção, indústria, docentes dos vários níveis educativos, funcionários da área do comercio e serviços. O secretário geral do PIT-CNT, Marcelo Abdala, avaliou que “há muito menos movimento que um domingo”, segundo publicou o jornal El Observador.

“Há perda de postos de trabalho, perda salarial; os setores mais desprotegidos da pobreza não são atendidos, há mais de 100 mil pessoas sobrevivendo de refeições ofertadas: esses são motivos suficientes para parar”, argumentou Pereira.

O presidente do PIT-CNT afirmou que o movimento sindical foi cuidadoso demais no marco da pandemia de coronavírus, e destacou que estes seis meses de governo foram os de menos mobilizações nos últimos 25 anos. “A Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL) nos colocou no último lugar das políticas sociais compensatórias que haviam se aplicado na pandemia e esse é um dado revelador de que o que se fez contra isso é insuficiente e não podemos continuar assim”, acrescentou.

Pereira assegurou que o governo busca “diminuir o gasto” tanto em educação como em saúde, e que o Executivo deve “ter a atenção ligada para ler e reler se o que estamos dizendo é verdadeiro ou não”. Para Marcelo Abdala, o projeto que está no Congresso tem como “única preocupação” o déficit fiscal e nem se atenta para os problemas da população.

Durante toda a jornada da quinta-feira (17) aconteceram concentrações em 15 pontos de Montevidéu. A mobilização em apoio à greve se realizou com uma convocatória a respeitar o distanciamento social, para o qual os organizadores pintaram pontos brancos na rua sobre os que recomendaram que os manifestantes ficassem. Também distribuíram máscaras e álcool em gel.

Os ministérios de Trabalho e Seguridade Social, Educação e Cultura, Interior, Economia e Finanças, Desenvolvimento Social e Pecuária, e Agricultura e Pesca não funcionaram. Porém, se registrou uma serie importante de plantões de funcionários para manter em funcionamento as questões básicas de saúde, segurança, energia elétrica, fornecimento de água e telecomunicações.

Lacalle Pou venceu as eleições em segundo turno, após ter feito uma coalizão de cinco partidos de direita, depois de 15 anos de poder da Frente Ampla. O país apresenta um quadro político estável, mas sua economia, que depende em alto grau das transações com o Brasil e a Argentina, mostra sinais de estancamento, com uma retração de -1,4% do Produto Interno Bruto no segundo trimestre do ano, impulsionado principalmente pela agricultura, informou o Banco Central. Já o desemprego foi de 9.2%, acima do 8.5% do mesmo período de 2019, e a inflação é de 8.36%, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística da Presidência.

 

*