Sem punição, procuradoria reconhece fake news de Flávio Bolsonaro

Flávio Bolsonaro (PL-RJ)

A PGE (Procuradoria-Geral Eleitoral) comunicou ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que vídeo postado pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode ser enquadrado como fake news, mas não defendeu a aplicação de punição ao parlamentar por entender que a publicação foi feita “fora do contexto eleitoral”.

O presidente da República está em campanha eleitoral desde que tomou posse, em 1º de janeiro de 2019. Nunca desceu do palanque e agora está em campanha ostensiva.

Na postagem do senador, que é filho do presidente Jair Bolsonaro (PL), há vídeo de discurso de Lula proferido em agosto de 2021 na Bahia, que foi editado para dar a entender que o petista faz a seguinte declaração: “Eu estou falando com o demônio e o demônio está tomando conta de mim”. Isto é fake.

Na verdade, ele disse: “E nas redes sociais do bolsonarismo eles tão dizendo que eu tenho relação com o demônio, que eu estou falando com o demônio e o demônio estava tomando conta de mim”.

Na publicação, que já foi apagada das redes sociais de Flávio, o parlamentar pedia que os seguidores dele marcassem líderes religiosos.

O PT formalizou representação contra Flávio e Romulo Quintino (PSC), vereador bolsonarista de Cascavel (PR), que compartilhou a publicação. O partido pediu que eles fossem punidos e indenizassem Lula, que deve disputar as eleições de outubro na tentativa de retornar à Presidência da República.