Renildo, líder do PCdoB, aposta em outras siglas na federação

Foto: divulgação

O líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, deputado federal Renildo Calheiros (PE), diz que a federação envolvendo o seu partido, PT e PV, deve ser ampliada até 31 de maio, data limite para a formação da associação. “Ainda há conversas com outros partidos do campo popular”, afirmou o parlamentar, que preferiu não citar prematuramente os possíveis aliados.

Nesta quarta-feira (9), os dirigentes do PT, PCdoB e PV anunciaram a formação de federação partidária para enfrentar Bolsonaro nas próximas eleições. Com divergências internas, o PSB não se definiu sobre o ingresso no grupo, mas deixou claro que compõe a frente ampla em torno da pré-candidatura à Presidência da República do ex-presidente Lula.

Sobre o encontro, no qual esteve presente, Calheiros avaliou como uma reunião “muito boa”, pois demonstrou a unidade política entre os quatro partidos. “Nós estaremos juntos em praticamente todos os estados apoiando o presidente Lula”, lembrou.

O líder afirmou que há expectativa de que o PSB ainda possa compor o grupo. “Mas vamos respeitar o tempo político que o PSB precisa para tomar a decisão”. Enquanto isso, prosseguem as conversas com o partido e outras siglas progressistas.

“Cada partido tem o seu tempo, mas PT, PCdoB e PV já declararam unidade encaminhando a federação. O PSB ainda tem debates internos a fazer, tem questões internas ainda a resolver. Então, carece de um tempo político um pouco maior”, explicou.

Unidade

O deputado também destacou o conteúdo da nota distribuída pelos partidos. “Nós soltamos uma nota conjunta com elevado nível político que mostra o grau de unidades entre esses partidos”, elogiou.

“As quatro agremiações, PT, PSB, PCdoB e PV têm unidade na construção de uma frente para enfrentar Bolsonaro e reconstruir o Brasil, unidos na candidatura Lula presidente”, diz a abertura da nota.

“Estamos convictos que a decisão é um marco histórico e um passo decisivo para trilharmos a vitória eleitoral nas eleições de 2022, construir uma nova maioria que possa devolver a esperança a nosso povo”, prossegue o documento.

Por fim, as agremiações deixaram claro que as conversas continuam: “Em resposta ao atual momento político, o PT, PCdoB e PV decidem caminhar para construir a federação e continuarão dialogando com o PSB em busca de sua participação, bem como, o envolvimento de outras legendas do nosso campo.”

Por Iram Alfaia
(PL)