Presidente de Cuba presta homenagem a Thiago de Mello

Foto: Reprodução.

O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, manifestou condolências, nesta sexta-feira (14), pela morte do poeta brasileiro Thiago de Mello. No Twitter, o líder cubano exaltou, especialmente, o poema Os Estatutos do Homem, composto por Thiago em abril de 1964, logo após o golpe que implantou a ditadura militar (1964-1985).

“Nossa sincera homenagem em sua partida a Thiago de Mello, com a eterna esperança de que um dia, em breve, seu Os Estatutos do Homem se concretize. De Cuba, nossas condolências ao seu povo e seus entes queridos”, registrou Díaz-Canel. Seu post destacou o “Artigo VII” dos Estatutos: “Por decreto irrevogável fica estabelecido / o reinado permanente da justiça e da claridade”.

Thiago morreu de madrugada, em casa, na cidade de Manaus (AM), aos 95 anos. “O poeta se foi após uma vida longa e intensa, mas nos deixa seus versos cheios de esperança”, completou o presidente cubano.

Ao longo de mais de 70 anos de carreira literária, Thiago – que era o maior poeta brasileiro vivo – traduziu para o português centenas de poemas de autores latino-americanos. Um de seus livros, Poetas da América de Canto Castelhano, lançado em 2011, reuniu versos de 119 poetas, de 19 países do continente. São nomes como Pablo Neruda, Jorge Luis Borges, Cesar Vallejo, Rubén Darío, Gabriela Mistral e Mario Benedetti. A obra foi lançada no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Thiago de Mello visitou Cuba algumas vezes e chegou a ser homenageado pela tradicional Casa de las Américas – uma das principais instituições culturais cubanas. O escritor Fernando Morais, amigo de Thiago há 60 anos, divulgou nesta sexta uma foto em que os dois participam de uma solenidade no local, em Havana, ao lado do sociólogo Darcy Ribeiro.

A obra de Thiago, traduzida para o espanhol, foi publicada no país caribenho. Em 2012, aos 84 anos, o poeta fez questão de ir a Salvador para participar da 20ª Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba, em Salvador (BA). Na ocasião, para apoiar a causa dos “Cinco Heróis Cubanos”, ele doou à campanha os direitos autorais de suas obras à venda na Feira de Livros de Manaus.

Em 2016, quando Fidel Castro morreu, aos 90 anos, Thiago de Mello prestou homenagem ao líder da Revolução Cubana. “A vida do querido presidente cubano Fidel Castro não se acabou. Continua como flama acesa no coração do seu povo, verdadeiro construtor, na cidade, na serra da Revolução, que dia a dia ultrapassa valente golpes perversos do Império invejoso”, afirmou. “Segues vivo, querido Comandante, no coração da América Latina, a Nossa América.”