Nota: Em apoio aos estudantes que ocupam a Câmara Municipal de SP

Crédito da foto: Facebook Jamil Murad

O secretariado do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) divulgou nota na tarde desta quarta-feira (9) em apoio a coragem e luta dos estudantes secundaristas e universitários que ocupam neste momento o plenário da Câmara Municipal de São Paulo, no centro da cidade em defesa do passe livre estudantil e contra o plano de privatização proposto pelo prefeito João Dória (PSDB).

Segundo o documento, “a manifestação é um instrumento de pressão e luta legítimo”. Diante disso, O PCdoB, que atua em conjunto com outras forças no Fórum em Defesa da Cidade para resistir ao desmonte das políticas públicas em São Paulo, pede para que o prefeito reconsidere os cortes feitos na cota de passe-estudantil e defende que qualquer ação para desocupar a Casa Legislativa seja feita sem colocar a vida de centenas de manifestantes em risco. Da mesma forma, exige o tempo necessário para o debate público e democrático através de plebiscito para consultar a população sobre o Plano de Privatização.”

Abaixo a íntegra da nota:

Todo apoio aos estudantes da ocupação da Câmara – Em defesa do Passe livre e contra a privatização de SP

O Partido Comunista do Brasil apoia os estudantes que corajosamente ocuparam a Câmara Municipal de São Paulo em defesa do Passe-livre e contra o plano de privatização proposto pelo prefeito João Dória.

A ocupação foi realizada após mais de quatro manifestações e intensa mobilização estudantil para garantir o passe livre como instrumento de democratização do acesso ao ensino.

Outra bandeira dos estudantes é que o prefeito Dória paralise o seu plano de privatização que visa vender desde o sistema de bilhetagem do transporte até o Pacaembu. Nos somamos aqueles que acreditam que privatizar não é a solução para os problemas da cidade.

A manifestação é um instrumento de pressão e luta legítimo. Diante disso, O PCdoB, que atua em conjunto com outras forças no Fórum em Defesa da Cidade para resistir ao desmonte das políticas públicas em São Paulo, pede para que o prefeito reconsidere os cortes feitos na cota de passe-estudantil e defende que qualquer ação para desocupar a Casa Legislativa seja feita sem colocar a vida de centenas de manifestantes em risco. Da mesma forma, exige o tempo necessário para o debate público e democrático através de plebiscito para consultar a população sobre o Plano de Privatização.

São Paulo, 09 de agosto de 2017

Secretariado do Partido Comunista do Brasil