Morre o jornalista Duarte Pereira

Morre Duarte Pereira, aos 82 anos

Morreu nesta quinta-feira (12), o jornalista Duarte Brasil Lago Pacheco Pereira, aos 82 anos. O dirigente nacional da Ação Popular faleceu em decorrência de um câncer.

No final da década de 1960 e início de 1970, Duarte Pereira foi dirigente da Ação Popular Marxista-Leninista (AP-ML) e, também, um de seus ideólogos. Dele, por exemplo, partiu a proposta  de unificação daquela organização com o PCdoB.

Nascido em 1939, em Salvador, Duarte era formado em Direito pela UFBa, e teve, em 1962, decisiva atuação na criação da Ação Popular. Teve papel importante na transformação teórico-ideológica desta entidade estudantil que, a partir de março de 1971, passou a se denominar Ação Popular Marxista Leninista.

Em julho de 1963, foi eleito vice-presidente da UNE, diretoria que foi reprimida pelo golpe de 1964.

Desde 1965, na cidade de São Paulo, trabalhando como jornalista, Duarte Pereira participou da criação da revista Realidade e foi um dos principais colaboradores de Movimento, jornal da imprensa alternativa que fazia um firme combate à ditadura militar e aglutinava jornalistas, sindicalistas, intelectuais, acadêmicos e artistas – progressistas e de esquerda – em defesa da redemocratização do país.

Com consistente formação teórica marxista, Duarte Pereira foi um fértil autor de artigos sobre temas diversos e aprofundados publicados na imprensa alternativa e comercial, mesmo na clandestinidade sob pseudônimo. Desde 1966 até anos recentes, escreveu sob a perspectiva do socialismo revolucionário, questões políticas, ideológicas e sociais em diferentes conjunturas políticas brasileiras e internacionais.

Leia também:

Renato Rabelo: Integração de AP ao PCdoB é grande contribuição de Duarte Pereira

Conheça a trajetória e pensamento de Duarte Brasil Pacheco Pereira reunido em dossiê pelo portal Marxismo21

(por Cezar Xavier)