Manuela: O ProUni me ensinou que a gente pode mudar o tamanho do sonho

Foto: Karla Boughoff

A candidata a vice na chapa encabeçada por Fernando Haddad (PT), Manuela d’Ávila (PCdoB), destacou a importância do Programa Universidade para Todos (ProUni), em encontro com estudantes cotistas e bolsistas do ProUni, na tarde desta quarta-feira (12), em São Paulo.

A comunista lembrou que o candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), era ministro da Educação na época e foi o responsável pela implementação do ProUni, que ajudou e ajuda muitos brasileiros a ingressarem no ensino superior.

Manuela contou que ingressou no movimento estudantil em 1999. “Na época, quando comecei a fazer política, eu achava que a gente era do tamanho do nosso sonho, mas eu aprendi que não. O ProUni me ensinou que a gente pode mudar o tamanho do sonho”, disse emocionada.

A candidata, que também foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), relatou que a sua principal memória em relação ao ProUni é a entrada de Haddad em uma das reuniões da entidade para defender o programa. “A gente não sabia se defendia ou não. Olhávamos e dizíamos:  Como é que é mesmo esse projeto? A gente defende a universidade pública. A universidade privada só pune os estudantes. As bolsas nas universidades privadas serviam para eleger políticos. Tinha lá um cara que distribuía bolsa e ele sempre se elegia vereador ou deputado. Então aquilo fazia parte não só do ensino, mas também do poder”, explicou.

A parlamentar comunista contou que Haddad explicou que se aquele dinheiro não fosse para o ProUni, ele não iria para a educação. “Nós não íamos aumentar o valor total investido do PIB em educação com aquele dinheiro, porque ele iria ser contingenciado, porque naquela época ainda existia isso. E a UNE, em uma reunião em que nem todo mundo defendeu (a proposta), passou a defender o ProUni”. Segundo Manuela, esse processo de sonho foi construído com muito esforço.

“Se eu vi as cotas, o ProUni, os estágios, as bolsas, a pesquisa e as escolas técnicas se tornarem realidade, isso significa que podemos não só sonhar e mudar o sonho das pessoas, mas realizar esse sonho de Brasil. Precisamos de vocês para ajudar a falar que esses sonhos são realizáveis. E que nós podemos fazer isso de novo com o nosso país. A democratização da Universidade mudará o Brasil porque vocês são aqueles que produzirão conhecimento diferente, olharão a sentença de uma forma diferente, o paciente, a construção e vocês serão aqueles que farão o nosso país desenvolvido, que é o nosso grande sonho”, disse Manuela d’Ávila.

Também participaram do encontro com os estudantes, Fernando Haddad e a sua esposa, Ana Estela Haddad, e o candidato ao Senado em São Paulo pelo PT, Eduardo Suplicy.

Assista o vídeo: