“Floresce a Esperança”: PCdoB lança lema e marca do Festival Vermelho

O PCdoB lançou, nesta sexta-feira (21), o lema e a logomarca do Festival Vermelho – a principal atividade da programação do Partido para celebrar seu centenário. Uma margarida estilizada e colorida, entrelaçada com a foice e o martelo, será o símbolo desse grande evento cultural e político – que está previsto para os dias 25, 26 e 27 de março, em Niterói (RJ). O slogan do festival será “Floresce a Esperança”.

“Que floresça a esperança no Brasil em 2022 – eis a mensagem do Festival e do PCdoB”, diz a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que integra a Comissão Organizadora. Num ano em que os brasileiros podem superar a pandemia de Covid-19 e derrotar o governo Jair Bolsonaro, as expectativas se elevam. “Tivemos muitas perdas com esse governo, que só sequestrou direitos e jogou o Brasil na falta de perspectiva. A simples chegada de 2022 já mobiliza as pessoas, porque podemos vencer esse momento difícil.”

A Vagalume Comunicação e Marketing Socioambiental foi a responsável pela criação da logomarca. Segundo a agência, a margarida – “uma das flores mais delicadas e populares da natureza, seja no Brasil ou no mundo” – tem muitos significados, como “juventude, sensibilidade e paz”. As margaridas tradicionais são formadas por pétalas lisas e brancas, em torno do disco amarelo. Na logomarca, as pétalas ganharam cores, numa composição harmoniosa que facilita sua aplicação nos mais diversos materiais.

Do ponto de vista gráfico, a marca representa também “um encontro e a expansão de um movimento”, conforme a agência. “Com a variação de cores, busca apresentar diversidade e amplitude de participação de diversos segmentos da população. Com pinceladas disformes, procura fazer referência à Semana de Arte Moderna.”

Jandira elogiou a escolha da margarida como inspiração para a marca. “É uma flor que representa afeto e acolhimento, que está vinculada à criação de uma cultura de paz”, afirma a deputada. “Cada pétala ali tem uma cor, um tom, porque nós não somos pétalas necessariamente iguais. Mas, em nossa diversidade, estamos irmanados – temos uma esperança em comum!”

A presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, ressalta que a criação da marca é mais um passo importante para a concretização de um “sonho” antigo dos comunistas do Brasil. Fundado em 1922, o PCdoB seguirá o exemplo de outros partidos comunistas centenários, que realizam, anualmente, festivais políticos e culturais. É o caso da Festa do Avante (do Partido Comunista Português) e da Festa do L’Humanité (do Partido Comunista Francês).

“O Festival Vermelho é um sonho que nosso partido vem gestando há algum tempo. É uma grande alegria realizar sua primeira edição no marco do nosso centenário”, afirma Luciana Santos. Segundo a dirigente, o PCdoB – que foi fundado em março de 1922, apenas seis semanas depois da Semana de Arte Moderna – “guarda consigo uma relação intrínseca com a cultura e a arte”.

“Um partido com as características do PCdoB tinha que incluir na celebração de seus cem anos esse momento de convergência entre as mais diversas linguagens artísticas”, acrescenta Luciana. “Além disso, faremos o debate político sobre a história do nosso País – e sobre o que queremos para o nosso futuro.”

O Festival

O Festival Vermelho terá três dias de programação artística e cultural, como debates, exposições, shows e lançamentos, respeitando todos os protocolos sanitários que estiverem em vigência.

A programação presencial será realizada em Niterói, a cidade onde nasceu o PCdoB e que, há 20 anos, é marcada por gestões progressistas. O atual secretário de Cultura do município é o comunista Leonardo Giordano. Niterói é, ainda, a segunda cidade com mais obras de Oscar Niemeyer, atrás apenas de Brasília. Uma das atrações do Festival Vermelho será o Caminho Niemeyer – uma rota que percorre as criações do genial arquiteto brasileiro.

“Haverá celebrações regionais em todo o Brasil para marcar estes cem anos do PCdoB, e o Festival Vermelho será a grande celebração nacional. Vamos mostrar a rica e densa expressão de nossas artes, em toda sua diversidade e grandeza”, afirma Jandira Feghali. “Assim, em seu centenário, o PCdoB se apresentará tal como é – um partido aberto à sociedade, que acolhe e dialoga, com amplitude e unidade.”

__

Por André Cintra