Comunistas reafirmam defesa da igualdade e projeto eleitoral no Bonfim

Davidson Magalhães, Aladilce Souza, Alice Portugal, Manuela d'Ávila, Olívia Santana e Daniel Almeida: caminhada de 8km até o Bonfim

Foto: divulgação

Cerca de mil pessoas seguiram o bloco do PCdoB da Bahia na tradicional Lavagem do Bonfim, em Salvador, nesta quinta-feira (16). A ala reuniu forças progressistas em defesa de um novo projeto de cidade para a capital baiana e foi uma das mais expressivas do cortejo.

Esse ano, a militância comunista caminhou ao lado da pré-candidata a prefeita, a deputada estadual Olívia Santana, e da ex-deputada federal gaúcha Manuela d’Ávila. Dirigentes e parlamentares do partido no estado também participaram.

Ao avaliar a experiência de participar de uma festa de grande expressão popular, Manuela D’Ávila garantiu que leva da Lavagem do Bonfim uma lição de atuação política. “A Bahia nos ensina, neste momento tão difícil para o Brasil, que é possível caminhar lado a lado, que não é possível colocar o povo contra o povo. É preciso enfrentar aqueles que estão destruindo o nosso país”, disse.

O deputado federal Daniel Almeida explicou que, em ano eleitoral, a festa serve, pelo caráter religioso que tem, para pedir as bênçãos ao Senhor do Bonfim e de Nossa Senhora da Conceição da Praia para “que a gente tenha as melhores escolhas e as melhores saídas”. “O PCdoB está muito animado porque tem convicção de que apresentou a Salvador o melhor nome para a prefeitura”, concluiu.

Alice Portugal, também deputada federal do PCdoB, defendeu que o ‘Bonfim’ deste ano significa a esperança por ‘justiça e concórdia’, uma referência ao Hino ao Senhor do Bonfim. “Precisamos de mandatários que amem o povo, e é assim que o PCdoB se coloca, oferecendo os melhores quadros que tem, em benefício daqueles que mais precisam”, afirmou.

Projeto novo para Salvador

Segundo o presidente estadual do PCdoB, Davidson Magalhães, o Bonfim deste ano serviu para o PCdoB reafirmar o projeto eleitoral.

“É o momento de reafirmar a pré-candidatura de Olívia Santana, que cresce a cada dia, porque é a cara da cidade e reúne condições técnicas para fazer uma excelente gestão. Ela conhece os problemas de Salvador, veio da periferia, e pode impulsionar uma Salvador igualitária e com mais justiça social”, explicou Davidson.

Durante a passagem do bloco, Olívia Santana foi muito disputada para abraços, fotos e bate-papos com a população. “As pessoas estão mostrando que a nossa pré-candidatura ganha o gosto popular, pois elas se identificam. Essa pré-candidatura é uma expressão, também, do Movimento dos Comuns. É o povo de baixo assumindo protagonismo”, destacou.

A Lavagem do Bonfim abre o calendário de festas populares da capital. Em um cortejo de 8km, os soteropolitanos caminham da Igreja da Conceição da Praia, no Comércio, até o Bonfim, onde está localizada a igreja de mesmo nome, que tem as escadarias lavadas. Para o presidente do PCdoB em Salvador, Everaldo Augusto, a dura caminhada traduz os desafios de 2020.

“Não são poucos nem pequenos os desafios que temos este ano, mas, junto com essas batalhas, vamos apresentar um novo projeto de cidade, mais igual, progressista, mais humana. Isso tudo tem um nome: é a nossa pré-candidata Olívia Santana”, afirmou Everaldo.

Termômetro

O deputado estadual Bobô afirmou que o ‘Bonfim’ ensina sobre unidade. “Juntos, na fé e na luta do nosso povo por uma cidade melhor para todos!”, disse. Os vereadores Hélio Ferreira e Aladilce Souza, da capital, também estiveram no cortejo. Para Hélio, a festa representa esperança, e é por isso que “peço que o Senhor do Bonfim também possa olhar por essa parcela da população que clama por ajuda”.

Aladilce Souza ponderou que a Lavagem do Bonfim é um termômetro que serve para avaliar a receptividade das pré-candidaturas que estão postas, e, para ela, o bloco do PCdoB foi o destaque da festa. “Nós estamos muito bem. Neste ano de 2020, Salvador vai ter a possibilidade de renovar o projeto da prefeitura e, com certeza, nós vamos chegar lá, pra diminuir as desigualdades, pra diminuir a pobreza desta cidade, e pra trazer um futuro melhor para todos nós”, apostou Aladilce.

Por que lutamos?

A passagem de Manuela d’Ávila em Salvador começou com o lançamento do seu livro, Por que lutamos?, na quarta-feira (15). O evento realizado na Casa Ninja incluiu uma conversa com Olívia Santana. Assista a íntegra a seguir: