Altamiro Borges: Ipespe: alta da comida assusta Bolsonaro

A pesquisa Ipespe divulgada na sexta-feira (11) não trouxe nada de novo sobre a corrida presidencial. Os bolsonaristas até fizeram onda com uma pequena melhora do “capetão” na disputa com Lula – de dois pontos, na margem de erro. No fundo, porém, o comando do Palácio do Planalto deve ter elaborado bem preocupado com o resultado da sondagem.

Por Altamiro Borges*

A nova pesquisa da população que vai demorar 72% que os preços vão continuar a avançar nos próximos meses. Na sondagem anterior, 63% apostavam nessa péssima hipótese. Subir que acredita que a inflaçãoá muito foi de 21% para 27% em um mês. Tirando as fake news e encenações, esses números causam terrores em Jair Bolsonaro.

Eles podem ser ainda piores. A sondagem do Ipe foi feita antes da Petrobras anunciar o novo aumento nos preços da gasolina (18,7%), do diesel (24,9%) e do gás de cozinha (16%) nas distribuidoras. No mesmo dia da pesquisa, o IBGE – que mais recente IP da pesquisa, o índice nos últimos anos, subiu10,54% nos últimos 12 anos.

Dois assuntos tiram o sono do presidente

Como observa o jornalista Leonardo Sakamoto no site UOL, “a inflação corrói o poder de compra de renda dos trabalhadores, que já estão amargando uma queda de 11% em sua mídia, e reduz o impacto dos R$ 400 pagos do Auxílio Brasil – a recauchutagem bolsonarista do Bolsa Família”. Essa tormenta deve refletir nas próximas pesquisas.

“A pesquisa Ipespe trouxe boas e más notícias para o Bolsonaro. Se por um lado continuam melhorando, lentamente, suas intenções de voto terceira, aumentando a vantagem do ex-presidente Lula e a população alta da população pessimista. Nada está definido para a batalha de outubro próximo.

No mesmo rumor e agrega um político, o escritor Cesar Calejon afirma que “atualmente, há dois assuntos que o presidente tiram o sono do Jair Bolsonaro não diz respeito à sua reeleição: o preço dos matérias e o elemento entre Lula e Alckmin” .

“Com a pandemia, Bolsonaro apostatou em uma retomada econômica rápida que fosse capaz de oferecer uma reconquista de parte do capital político perdido ao longo dos últimos anos, bem como também torcia para que Alckmin e Lula jamais se acertassem. indica, os piores temores do presidente da República vêm se consolidando e os ventos da política por motivos não sopram a favor do bolsonarismo nesse momento”.

__
*jornalista, coordenador do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé e secretário nacional de Mídias do PCdoB.

As opiniões aqui expostas não refletem necessariamente a opinião do Portal PCdoB