Daniel Almeida: Auxílio Brasil quer esconder má gestão do governo

Foto: Richard Silva/PCdoB na Câmara

O deputado federal Daniel Almeida (PCdoB/BA) criticou o programa ‘Auxílio Brasil’, do governo federal, que, para ele, foi criado apenas para tentar diminuir o impacto da má gestão de Bolsonaro, de olho nas eleições do ano que vem. A iniciativa seria lançada na última terça-feira (19), mas o evento de apresentação foi cancelado minutos antes do início.

O ‘Auxílio Brasil’, que deve pagar entre R$ 300 e R$ 400 aos beneficiários, foi pensado para substituir o ‘Bolsa Família’, programa criado durante o governo Lula, possível adversário de Bolsonaro nas eleições do ano que vem. Segundo Daniel, além de eleitoreira, a proposta do governo é mal planejada, porque não apresenta regras claras.

“Se substituírem o Bolsa Família pelo programa que eles estão anunciando, isso cobriria a metade daqueles que estão com o direito de acesso ao Bolsa Família, que precisam de uma renda e que são mais de 30 milhões de brasileiros, e esse valor cobriria no máximo 7 milhões de brasileiros”, disse o deputado, em uma manifestação na Câmara Federal.

O parlamentar do PCdoB ainda acrescentou que é preciso condenar a extinção do ‘Bolsa Família’, diante do cenário de agravamento da fome no país. “São cerca de 30 milhões de brasileiros que não têm segurança alimentar e o governo está extinguindo o Bolsa Família. O auxílio emergencial, que Bolsonaro reduziu, acaba este mês. A carestia tomou conta do nosso país”, completou.

De acordo com informações divulgadas pela imprensa, o cancelamento da cerimônia de lançamento do ‘Auxílio Brasil’ pode ter sido uma resposta do governo ao mercado financeiro.  O anúncio de que Bolsonaro teria decidido subir o valor do auxílio repercutiu negativamente no mercado financeiro, com o dólar disparando e a Bolsa tombando mais de 3%.

Do Portal PcdoB-BA com Ascom/Daniel Almeida

(RC)