Representantes internacionais reiteram importância do PCdoB

Mais de 50 representantes de 32 países participam do 14º Congresso Nacional do PCdoB, que acontece em Brasília, até domingo (19). Os cinco continentes estão representados no evento. Além disso, o congresso conta com a participação de representantes de Partidos Comunistas e organizações revolucionárias de vários países, que destacaram a importância do PCdoB na luta pela retomada da democracia no Brasil.

O representante do Partido Comunista do Vietnã, Tran Dac Loi, apontou o papel estratégico do PCdoB neste momento crítico que passa o Brasil, a América Latina e todo o mundo. “Nos inspiramos no espírito de luta de sua militância, em sua análise abrangente e profunda da situação, sua estratégia política criativa e seu programa de ações. Durante quase cinco décadas, também passamos por tempos difíceis. O povo vietnamita lutou pela libertação nacional contra o imperialismo francês e americano e contra o militarismo japonês, mas toda essa barbárie das forças imperialistas não conseguiu subjugar a luta do povo unido sob a liderança do Partido Comunista. Hoje, vemos uma luta intensificada e incessante pelo socialismo em muitos países e um exemplo claro e forte é a luta do Partido Comunista do Brasil. Estamos com vocês nessa jornada”, disse.

 

Tran Dac Loi, representante do Partido Comunista do Vietnã

Para Victoriia Georgiievska, do Partido Comunista da Ucrânia, o PCdoB é uma organização política revolucionária, que luta pelos trabalhadores e com coragem defende a democracia e a soberania nacional. “Queremos deixar aqui o nosso agradecimento pela solidariedade internacional do PCdoB e por todo apoio dado ao nosso partido, que está sendo ameaçado de ser banido pelo regime oligárquico que hoje governa a Ucrânia. Agradecemos ainda a posição do camarada Inácio Arruda que compareceu e falou no comício do nosso 1º de Maio. Garantimos a vocês que juntos vamos fortalecer a nossa amizade internacional para defender a unidade e coesão dos comunistas internacionais e continuar lutando contra a explosão do homem pelo homem, contra o fascismo e pela restauração da verdadeira democracia e socialismo no mundo”, afirmou Georgiievska.

 

Victoriia Georgiievska, do Partido Comunista da Ucrânia

Representando o Partido Comunista da África do Sul, Celine Madlopha destacou a importância de os comunistas continuarem unidos contra a ameaça das forças de direita no mundo. “Os avanços que foram feitos pelas formações políticas progressistas, do pensamento de esquerda mais amplo e movimentos sociais que ascenderam ao governo através do poder popular democrático, cada vez mais estão enfrentando uma ameaça real de erosão. Isso se deve principalmente à volta das forças de direita em cada país que são apoiadas, em grande parte, por interferência imperialista”, ressaltou Madlopha. Ela ainda comentou que o 14º Congresso do PCdoB irá contribuir para o fortalecimento da luta das massas que estão sendo exploradas no país.

 

Celine Madloph, do Partido Comunista da África do Sul

Hassan Abbas, do Partido Socialista Baath (Síria), ressaltou o papel do Brasil no acolhimento dos estrangeiros e a importância do socialismo para impedir os conflitos no mundo. “Como é bonito poder compartilhar nossas ideias neste grande Congresso, neste país que é uma nação mãe para os imigrantes de todas as minorias. Na Síria, nesta etapa de reconstrução do país, contamos muito com os países amigos, como o Brasil. Ao lado do PCdoB, estamos nesta luta contra todo tipo de colonialismo, totalitarismo e tirania a fim de impedir as guerras e os conflitos entre as nações. Temos a convicção de que o socialismo é um regime exemplar e mais adequado para os povos que acreditam na democracia e na justiça social”, enfatizou Abbas.

 

Hassan Abbas, do Partido Socialista Baath (Síria)

Para Gloria Inés Ramírez, do Partido Comunista Colombiano, o congresso destaca o caráter internacionalista e solidário do PCdoB. “Nosso partido acaba de fazer o seu 22° Congresso. A Colômbia passa por uma conquista que foi alcançada pela união ampla dos comunistas e da esquerda colombiana. Esperamos que as conclusões deste evento contribuam na luta pela democracia, soberania, integração e paz. Queria também destacar a presença das mulheres nesse congresso, pois sem elas não há democracia”, destacou Ramírez. Ela também registrou em sua fala o aumento dos assassinatos de líderes socialistas no mundo.

Gloria Inés Ramírez, do Partido Comunista Colombiano

A presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, afirmou que o conselho avalia de forma muito positiva o apoio político e militante que o PCdoB tem dedicado à paz no mundo e ao fortalecimento da entidade. “Queremos saudar este partido que, desde o seu nascimento, tem tido o compromisso com a paz e a solidariedade no mundo. Para o Conselho Mundial da Paz, o 14º Congresso Nacional do PCdoB é um evento esperançoso e que coloca como ponto principal o internacionalismo proletário e a unidade de todas as forças que querem a paz no mundo e a paz não rima com opressão e relações injustas”, afirmou Gomes.

 

Socorro Gomes, pelo Cebrapaz e Conselho Mundial da Paz

 

De Brasília, Maiana Neves

Fotos: Richard Silva