CNO, Ceará e Piauí apontam perspectivas das conferências nos estados

A Comissão Nacional de Organização (CNO) do PCdoB realizou na última quinta-feira (16) uma reunião por videoconferência com dirigentes responsáveis pelo partido nos estados do Ceará e do Piauí.

O encontro faz parte das reuniões setoriais que o PCdoB tem realizado com dirigentes de todas as regiões do país, colhendo relatos de como estão sendo construídas as conferências e plenárias no âmbito de realização do 15º Congresso, cuja plenária final está agendada para os dias 15 a 17 de outubro deste ano.

A reunião foi mediada por Carlos Augusto Patinhas, coordenador nacional do Departamento de Quadros do PCdoB. Participaram ainda os secretários nacionais, Fábio Tokarski (Organização) e Neide Freitas (Planejamento), além do dirigente do Comitê Central, Ronald Freitas.

Piauí

O presidente estadual do PCdoB-PI, José Carvalho Rufino informou que foram realizadas 16 conferências no estado e mais 13 estão agendadas para acontecer nos próximos dias. O objetivo é mobilizar cerca de 400 militantes somando o total das atividades. O horário da conferência estadual sofreu uma alteração por conta dos atos do dia 2 de outubro pela campanha “Fora, Bolsonaro”, mas se manterá no mesmo dia. “Estamos trabalhando para compor uma direção estadual fortalecida no caráter ideológico e no compromisso com as ideias do partido”, destacou José Carvalho sobre a nominata.

A conferência na capital, Teresina, acontecerá no dia 25 de setembro com forte presença no bairro do Itararé, onde o PCdoB atua há 40 anos no movimento comunitário. “Reativamos uma entidade e pretendemos incorporar alguns membros para o comitê municipal”, explicou Mário Angelo, presidente do PCdoB de Teresina.

Além do movimento comunitário, o PCdoB se aproximou das entidades de trabalhadores rurais do Piauí, entre elas a Fetagri, resultado de bons trabalhos da direção em cidades como Campo Maior, Parnaíba, José de Freitas, Floriano, Picos e Altos. A preparação para o Congresso também tem mobilizado os segmentos de juventude e universidades. José Carvalho reiterou que a direção estadual tem feito um esforço para garantir o recadastramento digital.

Ceará

Teresinha Braga, secretária de Organização do PCdoB-CE afirmou que a expectativa é que o estado realize 50 conferências municipais. Até o momento, existem 35 conferências marcadas. Foram realizadas 15, tanto presencial quanto virtual. “Estamos fazendo um acompanhamento bem de perto para motivar a realização das conferências e aproximar do partido real que a gente tem”, disse Teresinha.

No campo da comunicação, a dirigente comemorou a criação do Canal 65 nas redes sociais do PCdoB cearense – assim como no nacional – que tem sido um instrumento para aproximar o Congresso de cada filiado através de debates e orientações, inclusive sobre como realizar uma conferência, observou Teresinha.

O PCdoB em Fortaleza tem como meta a realização de 50 conferências de base que reúna 500 filiados. A informação é de Francinet Cunha, presidente do PCdoB da capital cearense. “Na última semana avançamos de 17 para 32 conferências realizadas”.  Benedito Bezerril, coordenador do departamento de quadros do Ceará, confirmou que é muito positivo o esforço de reunir as bases. “Mesmo não sendo tarefa fácil é por aí que se dá o revigoramento do partido”, afirmou.

O presidente estadual do PCdoB do Ceará, Luis Carlos Paes, também participou da reunião e ressaltou que o trabalho nas bases do partido precisa avançar. “Precisa ter um esforço muito grande continuado nos próximos anos para que a gente possa colocar o partido neste trilho de ter os nossos camaradas, os quadros atuando em bases objetivamente”, defendeu.

PCdoB Digital

A secretária e também coordenadora do PCdoB Digital, Neide Freitas afirmou que a democratização da internet precisa ser uma luta dos comunistas. Ela voltou a falar da necessidade de que cada militante tenha uma senha e um login para acessar o PCdoB Digital para acessar as ferramentas. “Faz parte dos nossos desafios em relação a ação de massas e a melhorar nossa comunicação”, reforçou Neide.

Quadros de direção

O coordenador nacional do Departamento de Quadros, Patinhas, disse que pelo contexto que o Brasil vive o número de conferências vai ser menor, mas é um processo de revolvimento do partido para enfrentar a luta pelo impeachment e por uma legislação eleitoral democrática.

Ele destacou também a maior preocupação com a estruturação de bases, que é um assunto que vem sendo discutido há muito tempo, mas leva um tempo para ser implementado. “Nosso foco deve ser a reestruturação das bases e dos nossos comitês distritais nas capitais”.

O integrante da direção nacional, Ronald Freitas fez coro sobre a importância dos distritais. “O Brasil tem uma realidade urbanizada e o partido para ser forte tem que estar em cidades como Teresina, Fortaleza. Tem que estar ligado às grandes cidades”.

Qualificar e intensificar o debate

O secretário de Organização, Fábio Tokarski encerrou a reunião reforçando a orientação para o dia 2 de outubro das manifestações contra Bolsonaro. “O nosso partido precisa protagonizar um grande ato com nossas bandeiras, militância. A mídia vai estar de olho nas grandes cidades. Realizar a conferência no mesmo dia pode ser dispersivo”, argumentou.

Ele reafirmou a disposição de escuta da CNO e reforçou que faltando um mês para o Congresso ainda é possível qualificar e intensificar ainda mais o debate.

Por Railídia Carvalho