Fortalecer o PCdoB das bases às direções superiores – Parte 1

Camaradas,

As teses apresentadas para o debate ao 14° Congresso do Partido, enfatizam com muita propriedade os caminhos para a saída da atual crise econômica e política ao qual passamos, fundamenta entre outras coisas, a necessidade de construirmos e fortalecermos o nosso Partido como uma organização política na disputa da hegemonia na sociedade brasileira rumo à construção do caminho socialista. Nesse sentido, faço algumas considerações sobre o Partido ao nosso debate:

Por Marcelo Toledo*

  1. A atual situação nos cobra de forma objetiva e direta, uma reflexão de como anda nosso Partido como organização de vanguarda e revolucionária para dar cabo às necessidades postas pela luta de classes nesse momento.
  2. Para essa reflexão, deve-se levar em conta não só as questões política, teórica e ideológica, mas fundamentalmente como se encontra a estrutura orgânica do Partido, ou seja, a real situação estrutural da nossa organização. Nesse processo de estruturação para a realização do 14º Congresso, detectamos as dificuldades nos recadastramentos dos filiados e, nas estruturações dos Organismos de Base. Isso de deve ao meu ver, pelo fato de não termos priorizado a estruturação partidária nas bases, existiu de fato, uma subestimação do caráter Leninista e revolucionário do nosso Partido, essa subestimação é um reflexo objetivo do relaxamento às questões organizativas como ferramenta de aproximação mais estreita do Partido com o povo. Não acredito que esse relaxamento tenha acorrido por discordância do método Leninista de organização, penso que esse distanciamento das organizações de base é o reflexo de uma conjuntura complexa da luta de classes no Brasil e no mundo no qual temos tido derrotas nas disputas das ideias na sociedade, refletindo diretamente em nossa organização fragilizando nossa concepção de Partido de Vanguarda do Proletariado brasileiro.
  3. O Partido Comunista do Brasil, como organização de vanguarda do Proletariado brasileiro, é composto por um sistema de organização, ao qual um completa o outro, formando assim um corpo completo e complexo no sentido de se constituir como um instrumento das transformações sociais rumo ao Socialismo e ao Comunismo.
  4. É importante ressaltar o papel estratégico na luta de classes, a existência de uma organização revolucionária e de caráter Leninista. O nosso Partido não pode ser confundido com uma organização anárquica, na qual não haja um conjunto de questões que o discipline e discipline o conjunto da nossa militância comunista.
  5. Cada parte da organização, cumpre um importante papel para que todo sistema funcione e cumpra o seu papel na organização e na educação politica do povo – e, particularmente dos trabalhadores e trabalhadoras.
  6. A estruturação do Partido não pode ser concebida como uma questão conjuntural – ela tem que ser permanente, independentemente do grau como se manifesta a luta de classes em determinados momento. O Partido, guiado pela mais avançada teoria social, o Marxismo-Leninismo, não pode ser conduzido pelos acontecimentos conjunturais somente, mas essencialmente pelo seu programa socialista e revolucionário, pelo conceito estratégico em pôr fim ao sistema capitalista rumo a uma nova sociedade.
  7. Na página 122 das resoluções do 13º Congresso, o primeiro parágrafo diz: “O Partido enxerga com nitidez o alcance dos grandes embates políticos que, na atualidade, se colocam diante dos trabalhadores e da Nação. Estão em jogo opções que, para o PCdoB, não se encerram no imediato, mas tem sentido estratégico na concretização do magno objetivo das forças avançadas: A conquista de um País soberano, democrático e socialista, cuja construção seja resultado de um caminho próprio, brasileiro. ”
  8. Quando falamos em estruturação partidária, nos referimos à construção e ao fortalecimento calcado nas organizações de base, fundamentalmente, essas que compõem a base da pirâmide organizativa. Já fizemos esse debate no quarto encontro sindical do partido, quando se identificou que a pirâmide estava invertida. Será que resolvemos, ou, pelo menos avançamos nessa questão, camaradas?
  9. Quando as bases estão mal organizadas ou quando não funcionam, põe em risco todo o sistema de organização, dentro do conceito de organização de vanguarda centralizada.
  10. As organizações de base são como as veias do nosso corpo, que possibilitam a viagem das nossas ideias, do nosso programa, definido nos congressos dentro do conceito da inteligência coletiva, que só o centralismo democrático possibilita. aos milhões de trabalhadores, à juventude e ao povo em geral. Sem as organizações de base funcionando, sem o engajamento dos militantes e dos quadros, tudo fica mais difícil na vida do Partido.
  11. O caminho a percorrer na estruturação do Partido não se dá em linha reta, ele é tortuoso e de certa forma complexo e exige desprendimento, compromisso dos nossos militantes e principalmente dos quadros. É necessário convencimento ideológico para a concretização das tarefas de cunho organizativo. Tarefas essas que são de todos, indistintamente: do militante de base aos dirigentes de todos os órgãos de direção.

 

Viva O 14º Congresso do PCdoB!

Viva o Socialismo!

*Metalúrgico- Ferramenteiro