UnB inicia testes da vacina chinesa contra coronavírus no DF

A Universidade de Brasília (UnB) iniciou nesta quarta-feira (5), os testes com a vacina contra a Covid-19, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech. Os primeiros a receber as doses são profissionais de saúde que estão em contato direto com pacientes infectados pelo novo coronavírus.

A equipe responsável pela pesquisa no Distrito Federal é composta por 25 pessoas, de diversas áreas. De acordo com o coordenador do projeto, o infectologista Gustavo Romero, nesta primeira semana, até 10 voluntários devem ser vacinados.

“Vamos começar com um grupo pequeno, para aprimorar o funcionamento, segurança, cuidado, até chegar às 850 pessoas”, afirma.

A vacina será aplicada em duas doses, com intervalo de 14 dias. Uma parte dos voluntários não receberá essa imunização, mas um placebo, para fazer parte do “grupo de controle”, que servirá de base para que os pesquisadores identifiquem os efeitos da composição em quem, efetivamente, recebeu as doses.

“Se der resultado adequado, a vacina estará pronta pro registro e distribuição”, afirma Gustavo Romero.

A vacina contra a Covid-19 está na terceira e última fase de testes e inicia no DF quando a capital chegou a 1.572 óbitos, segundo balanço da Secretaria de Saúde divulgado na noite desta terça (4). Ao todo, 113.930 pessoas foram infectadas.

Na segunda etapa da pesquisa, os resultados foram considerados promissores porque demonstraram a produção de anticorpos em 90% dos participantes que receberam a imunização.

A pesquisa no Brasil é coordenada pelo instituto Butantan, de São Paulo, com autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Para serem considerados aptos a participar do estudo, os voluntários devem ser maiores de 18 anos, trabalhar no atendimento a pacientes com a Covid-19 e não podem ter sido infectados pelo novo coronavírus até o começo dos testes.