Servidores convocam novo protesto por reajuste salarial no dia 02

(Fonacate

Como parte da ampla mobilização por recomposição salarial e contra os cortes nos órgãos públicos federais empreendidos pelo governo Bolsonaro, os servidores planejam mais um ato de protesto, no dia 2 de fevereiro, na Praça dos Três Poderes.

A exemplo das grandes mobilizações e paralisações que ocorreram no dia 18, entidades como o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) e o Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas do Estado (Fonacate) “vão cobrar do governo, do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF) respostas sobre as reivindicações de aumento salarial”, conforme avisa nota divulgada pelas entidades.

Na ocasião, lideranças das entidades vão entregar aos representantes dos três poderes um ofício em que pedem, além do reajuste salarial de 19,99%, o arquivamento da proposta de reforma administrativa e a revogação do teto de gastos.

Diante da mobilização da categoria, a entrega de cargos comissionados em diversos órgãos e paralisações pontuais de diversos setores do funcionalismo que vêm ocorrendo massivamente desde dezembro, as entidades cobram uma negociação com o governo.

“Estranhamos o fato de não ter sido aberta uma mesa de negociação entre o governo e os sindicatos representantes dos servidores. Para registrar nossa disposição de iniciarmos um processo de negociação com o governo, estamos solicitando uma audiência com a Casa Civil”, diz o documento.

Segundo as entidades, se não houver nenhum tipo de satisfação do governo em relação às reivindicações, uma greve geral pode ser iniciada no dia 9 de março.

“Estamos formalizando os processos para depois, no caso de greve, ninguém falar que o movimento é ilegal. A gente quer dialogar, mas, do outro lado, não tem sinal de fumaça”, disse Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef).

Para organizar as atividades e a continuidade da luta, nesta quinta (27), as entidades promovem uma plenária nacional virtual que deve reunir milhares de servidores em todo o Brasil, dos mais diversos setores do funcionalismo federal.