Presidentes de 14 partidos rejeitam voto impresso; só 4 são favoráveis

A conspiração liderada pelo presidente Jair Bolsonaro para impor o voto impresso nas eleições 2022 não terá futuro. Levantamento do Instituto Ideia junto a presidentes de 18 partidos mostra que 14 deles são contrários à medida. Só quatro são favoráveis, sendo três da base bolsonarista.

A urna eletrônica é apontada pela maioria desses dirigentes partidários como “ágil, segura e um exemplo de modernidade para o mundo”, conforme noticia nesta sexta-feira (30) o jornal O Globo.

Esses mesmos dirigentes acusam Bolsonaro de tentar “tumultuar o processo eleitoral”. “No caso do voto impresso, o que se vê é um paralelismo com a Presidência da República. Essa é uma pauta do presidente”, resume Fabro Steibel, diretor do ITS Rio.

Já o “distritão” – sistema em que os candidatos a deputado mais votados são eleitos, sem proporcionalidade – divide os partidos. Dez presidentes de siglas são contrários a essa mudança, proposta na reforça eleitoral em curso na Câmara Federal. Em contrapartida, oito defendem o “distritão”.

“Os favoráveis ao distritão defenderam que o sistema é mais transparente ao eleitorado, além de gerar menos custos e ter implementação mais prática”, informa O Globo. “Já os contrários destacaram que o modelo distorce a representatividade, diminui o poder dos partidos menores e o transfere aos partidos fisiológicos, representando um ataque à democracia.”