Porto Alegre: ataques a vereadoras expõem caráter da extrema-direita

Foto: Lucas Leffa / Assessoria Laura Sito

A Câmara Municipal de Porto Alegre vivenciou, nesta quarta-feira (20), uma das cenas mais lamentáveis de sua história. Um grupo negacionista de extrema-direita, contrário ao passaporte vacinal, resolveu protestar de maneira violenta nas galerias da Casa, agredindo parlamentares física e verbalmente.  As vereadoras do PCdoB Bruna Rodrigues e Daiana Santos, assim como a vereadora Laura Sito (PT), que formam parte da bancada negra, foram vítimas de racismo explícito. Elas foram chamadas de “empregadas” e “lixo” por uma das extremistas, conforme vídeo gravado no momento da discussão.

Vereadora Daiana Santos (PCdoB) mostra à presidência da Câmara cartaz com suástica usado por manifestantes de extrema-direita (Foto: Ederson Nunes/CMPA)

O episódio ocorreu durante sessão que analisou o veto do prefeito Sebastião Melo (MDB) à proposta aprovada no legislativo de exigir passaporte vacinal. Revoltado com a proposta do parlamento, o grupo de perfil fascista, com cerca de 30 integrantes, passou a tumultuar os trabalhos se manifestando contra a vacina anti-Covid-19, usando inclusive a suástica nazista. A sessão foi interrompida e, depois de retomada, Câmara decidiu pela manutenção do veto.

A bancada antirracista da Câmara decidiu ir, na manhã da quinta-feira (21)  à Delegacia de Combate à Intolerância para registrar boletim de ocorrência contra os agressores e pedir providências contra esse tipo de ataque.

Em nota, a presidência e a mesa diretora da Câmara Municipal de Porto Alegre afirmaram que “em hipótese alguma esta Câmara aceitará apologia à suástica, símbolo do período mais obscuro da história moderna da humanidade. Aqueles que buscam impor suas vontades pela força ou pelo terror nunca terão guarida nesta Casa. Pelo contrário, tais indivíduos serão submetidos ao rigor da lei e responsabilizados por seus atos”.

Firmeza e altivez

Em vídeo, Bruna e Daiana falam sobre os ataques

O caso teve repercussão nacional. A presidenta do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, usou as redes sociais para repudiar o ocorrido e se solidarizar com as vereadoras agredidas. “Negacionistas invadiram a Câmara de Porto Alegre, causando tumulto e espalhando preconceitos. Mais uma vez nossas vereadoras Bruna Rodrigues e Daiana Santos foram firmes e altivas, mesmo diante das agressões racistas”, declarou.

Luciana completou dizendo: “Nós não nos furtamos em combater o racismo, dia após dia. Mas também sabemos o quanto isso é doloroso e difícil. Força, camaradas, estamos juntas! Vocês são madeira de lei que cupim não rói”.

Após as agressões, Bruna Rodrigues desabafou: “Uma das formas pelas quais o racismo se manifesta é questionando os espaços que ocupamos. Quando mulheres negras, como eu, escutam que somos ‘empregadas’ de pessoas com o perfil da mulher que me insultou — branca, ‘de bem’, de família — essa frase na verdade questiona a nossa capacidade de estar nestes espaços”.

É por isso que, completou Bruna, “ter ouvido que sou ‘empregada’ e que sou um ‘lixo’ por alguém me indignou. Eu tenho muito orgulho de já ter sido empregada doméstica, tenho muito orgulho de ser filha de gari. E tenho mais orgulho ainda de estar aqui representando estas mulheres, estas trabalhadoras!”.

A vereadora Daiana Santos também reagiu com indignação: “Absurdo o que aconteceu na sessão de hoje na Câmara de Vereadores! Neozanistas negacionistas ocuparam as galerias do plenário para se opor à obrigatoriedade do passaporte vacinal. Não bastasse esse absurdo, se valeram de símbolos nazistas e ofenderam de maneira racista a mim e às vereadoras Bruna Rodrigues e Laura Sito, afirmando que somos empregadas delas!”. E acrescentou: “Temos muito orgulho de sermos mulheres negras que ocuparam a Câmara! E diremos mais: da política não sairemos, na política resistiremos!”.

Em nota, a Bancada do PCdoB na Câmara destacou: “É inadmissível que a Câmara de Vereadores autorize a apologia ao ódio. As práticas criminosas cometidas pela horda bolsonarista que invadiu o Legislativo Municipal são inaceitáveis. A Bancada do PCdoB repudia as práticas criminosas neste parlamento e exige providências da Mesa Diretora para punição dos agressores e medidas para que não se repitam”.

A essência da extrema-direita

Manifestantes agridem vereador Cláudio Janta (Foto: Elson Sempé Pedroso/CMPA)

Além de se solidarizar com as vereadoras e repudiar os ataques que sofreram, a jornalista e ex-deputada do PCdoB, Manuela d’Ávila, falou sobre a presença da extrema-direita na cidade e na base de apoio do prefeito Sebastião Melo. “Quando a eleição de 2020 acabou, falei muitas vezes que aqui em Porto Alegre tínhamos perdido para a candidatura mais bolsonarista das capitais, mesmo que o então candidato tivesse ‘negado’ Bolsonaro por três vezes”.

Manuela colocou ainda que as imagens “das violentas e racistas manifestações na Câmara de Vereadores dão ideia de qual base sustenta esse governo e com quem eles buscam dialogar. Afinal, todo esse debate aconteceu porque o prefeito é contra o passaporte vacinal”. E concluiu: “As cenas de hoje também mostram um pouco como a extrema-direita é na essência e como virá para as ruas em 2022”.

 Assista o vídeo com os ataques às vereadoras

Por Priscila Lobregatte