Polícia prende italianos que criavam partido fascista

Policiais encontraram suásticas e fotos de Adolf Hitler, além de pistolas, rifles de caça e bestas

 A polícia italiana informou, dia 28, da detenção de nazifascistas que queriam montar um partido “pró-Nazi, xenófobo e antissemita”.

Segundo o informe policial a intenção deles era criar um partido denominado Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores da Itália, nome que é uma cópia do utilizado pelo partido nazista alemão (Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães).

Segundo ainda diz a nota, a quadrilha tinha material de propaganda alusivo a Hitler e Mussolini, além de armamento, localizado em 19 residências espalhadas por 16 cidades italianas.

Entre as armas localizadas há rifles, pistolas e material explosivo.

Agências de notícias destacam que o grupo mantinha contados em pelo menos três países europeus: Inglaterra, França e Portugal.

Pelas leis italianas, é crime a apologia ou a defesa do fascismo ou atividades no sentido de reviver partidos fascistas.

Segundo ainda a polícia, o exame do programa deste grupo revela pessoas alinhadas com o “mesmo fanatismo ideológico e buscando criar um movimento abertamente pró-Nazi e negacionista [o negacionismo contesta fatos da história na tentativa de encobrir os morticínios nazistas na Segunda Guerra Mundial, incluindo o massacre de milhões de judeus europeus]”.

O número de detidos ainda não foi informado.