PEC de Bolsonaro é o maior programa de compra de votos da história

Deputado federal Orlando Silva (SP), vice-líder da bancada do PCdoB.

(Foto: Paulo Sergio/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) denunciou, na última sexta-feira (1º/07) que Jair Bolsonaro “preferia fazer motociata e zombar do povo” quando “não estávamos às vésperas da eleição”, mas agora quer aumentar benefícios para comprar votos através da PEC do Desespero.

“Eu não dou arma na mão de assassino e nem cheque em branco para ladrão! Não contem comigo para essa farsa! PEC do desespero, não!”, escreveu Orlando nas redes sociais.

Para o deputado, a PEC, que decreta um estado de emergência “fajuto” visando ganhar votos para Bolsonaro e atropelando a legislação eleitoral, é o “maior programa de compra de votos da história”. O pacote deve custar R$ 41,25 bilhões aos cofres públicos a três meses das eleições.

“É uma afronta à Constituição Federal e à Lei 9504/97, que rege as eleições, criando uma situação de ilegalidade consentida por desespero eleitoral de Bolsonaro”, disse Orlando Silva.

O governo de Jair Bolsonaro “arruinou o país, produziu milhões de desempregados, inflação descontrolada, disparada de preços de produtos essenciais e mais de 30 milhões de famintos, além de um rombo nas contas públicas para comprar apoio político”, acrescentou.

“Enquanto as pessoas pegavam comida no lixo, mas não estávamos às vésperas da eleição, Bolsonaro preferia fazer motociata e zombar do povo”, enfatizou.

Orlando lembrou, ainda, que o governo Bolsonaro queria um auxílio emergencial de R$ 200, mas “a luta da oposição garantiu os R$ 500. Depois, Bolsonaro extinguiu o benefício em 2020, deixando milhões de famílias sem ter o que comer em 2021”.

“Denunciamos o descalabro da fome e da desassistência e derrotamos o governo, aprovando o retorno do auxílio no Congresso”, explicou.

“Agora que a conta política chegou, vendo que vai perder a eleição no 1° turno, bateu o desespero e Bolsonaro decidiu ir para o vale tudo. Quer criar o maior programa de compra de votos da história!”, pontuou.

“Mas que Bolsonaro saiba: o povo brasileiro não é otário. Sua derrota já está contratada”, afirmou.

A pesquisa Datafolha divulgada no dia 23 de junho mostra que Lula tem 19 pontos de vantagem sobre Bolsonaro no primeiro turno. Lula está com 47% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tem apenas 28%.

__