PCdoB propõe taxar grandes fortunas em reforma tributária justa

Brasília- DF. 08-10-2019- Oposição durante lançamento da proposta de reforma tributária sustentável, justa e solidária. Foto Lula Marques

O PCdoB e demais partidos de Oposição ao governo Bolsonaro – PT, Psol, PDT, PSB e Rede – apresentaram nesta terça-feira (8) uma proposta de reforma tributária “justa, solidária e sustentável” em ato na Câmara dos Deputados.

O projeto sugere a taxação de grandes fortunas, lucros, dividendos, artigos de luxo e heranças como forma de reequilibrar as contas e promover justiça social. A proposta tem como objetivo se contrapor a do ministro da Economia, Paulo Guedes.

A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que organizou a discussão em torno da Oposição na Câmara, disse que o momento é de demonstrar à sociedade que além de denúncias e resistência ao desmonte do país, a Oposição tem – e sempre teve – propostas para o Brasil.

“A proposta de reforma tributária faz justiça porque desonera os trabalhadores e onera quem tem que pagar e não paga, os setores mais ricos,” destacou a comunista. Segundo ela, além de inverter a pirâmide da tributação, a proposta quer promover distribuição mais equitativa com estados e municípios, garantindo políticas universais como saúde e educação, além de meio ambiente, considerado por ela um setor que demanda atenção.

Confira a sua declaração no vídeo abaixo:

Da mesma forma, a vice-líder da Minoria, deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), definiu o projeto como de alta qualidade e profundidade. “O trabalho nos mostra que o Brasil é um dos únicos países do mundo ocidental que não faz tributação sobre os rendimentos e aplicações no mercado financeiro e abre um leque de possibilidades sociais a partir de uma forma justa de captação da receita”.

“Pela natureza da justiça social poderá contagiar a muitos”, diz Alice confirmando que “a bancada do PCdoB assume a proposta como sua”.

Acompanhe o seu pronunciamento no ato:

Presidência do PCdoB

Já a presidenta nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, afirmou que esta reforma se contrapõe a um discurso corriqueiro no Brasil de que a oposição não teria propostas.

Disse ainda que foi graças à atuação da Oposição – no parlamento e nas ruas – que os danos da reforma da Previdência foram diminuídos: “Felizmente, graças ao nosso combate, ao debate, as manifestações na rua, conseguimos reduzir danos. Nós precisamos tirar o país desse atoleiro, precisamos de crescimento”, declarou.

Assista a íntegra do discurso da dirigente no ato:

A proposta apresenta sete eixos: tributação justa e solidária; sustentabilidade ambiental; proteção à saúde humana; financiamento da educação; preservação da Seguridade Social; restabelecimento do pacto federativo e desenvolvimento regional e simplificação e eficiência tributária. Acesse a íntegra.