PCdoB dá as boas-vindas e orienta eleitos para desafios dos mandatos

Plenária virtual mostrou diversidade e desejo de transformação dos eleitos em 2020

Foto: reprodução

A direção nacional do PCdoB, através da Secretaria de Relações Institucionais e Políticas Públicas do Partido, realizou na noite desta quinta-feira (3), uma plenária virtual para a recepção dos candidatos e candidatas que foram eleitos e eleitas em 2020 para as prefeituras e câmaras municipais em todo o país.

A rica diversidade brasileira e o desejo de transformação foram as marcas desta reunião virtual. Diferentes sotaques, origens, cores e orientações sexuais estiveram representados entre os cerca de 100 participantes reunidos. Em comum, a vontade de fazer uma política diferente, sintonizada com os anseios do povo para enfrentar as atuais dificuldades vividas pelo país.

Superando uma série de obstáculos impostos pela conjuntura, pela pandemia, pela crise econômica e lidando com a primeira eleição municipal sem a possibilidade de coligações para a disputa proporcional, o PCdoB conseguiu eleger 46 prefeitos (dos quais oito mulheres), 56 vices (também com oito mulheres) e 688 vereadores e vereadoras (123 mulheres, ou 18% do total). O PCdoB é o partido que mais elegeu, proporcionalmente, vereadores e vereadoras pretos e pardos em todo o país: 69,8%.

“Foi uma disputa em que não podíamos estabelecer coligações proporcionais, com poucos recursos e campanhas duras, reacionárias, contra o partido. Apesar de todas dificuldades, estamos orgulhosos dos mandatos que conquistamos”, disse Nádia Campeão, secretária de Relações Institucionais e Políticas Públicas do PCdoB e integrante do Grupo de Trabalho Eleitoral.

A dirigente destacou que essa reunião foi um primeiro passo no estreitamento das relações e na formação de um canal de diálogo e apoio a partir dos comitês do partido, especialmente com relação aos que estão estreando sua caminhada no Executivo e no Legislativo. “Nosso relacionamento terá de ser muito intenso para alargar e fortalecer a base do partido com vistas a 2022”, disse Nádia, propondo a formação de uma rede nacional de troca de experiências.

Bravura e sagacidade

A presidenta nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, iniciou sua fala destacando que o partido “travou o bom combate” e que os candidatos e candidatas tiveram “bravura e sagacidade” para conseguir vencer uma eleição tão difícil.

Luciana lembrou como obstáculos enfrentados as disparidades nas regras do jogo para quem se candidata por partidos com estruturas menores, a força das máquinas locais e o poder econômico. Ela enfatizou que os eleitores que apostaram nas candidaturas comunistas “depositaram sonhos e esperanças em nós”.

A presidenta enfatizou que os novos mandatos “orgulham o nosso glorioso PCdoB”. Somos, disse Luciana, “um partido de ideias e não apenas de eleição”. “Sonhamos mudar o país”, apontou, com desenvolvimento, igualdade, democracia e prosperidade, “sob a perspectiva da construção do socialismo”. É neste processo que se insere a formação de cidades mais humanas e focadas nas necessidades reais do povo. Ela lembrou ainda que em quase 100 anos de existência, “o PCdoB está onde sempre esteve, a serviço das causas de nossa gente, do lado do desenvolvimento com justiça social, dos mais necessitados, da democracia e do Brasil”.

Luciana Santos avaliou, ainda, que o resultado da eleição mostra que a extrema-direita, o bolsonarismo, o lava-jatismo, a antipolítica foram os grandes derrotados neste pleito. Além disso, destacou a perda de apoio em setores próximos ao governo. “Vamos ter um cenário de crise econômica muito agravada, apesar do recente crescimento do PIB, que não parece consistente uma vez que o governo não tem projeto”, disse Luciana, acrescentando que “Guedes é errático e perde força inclusive no status quo”. Neste cenário, a dirigente avalia que se torna ainda mais necessária a defesa intransigente da vida, da democracia e dos direitos do povo no âmbito das cidades.

Ela também destacou a disputa em Porto Alegre. “Manuela sofreu uma das campanhas mais sujas da história; chegou a conseguir derrubar na Justiça mais de 600 mil compartilhamentos de notícias falsas. Teve até pesquisa falsa divulgada por uma emissora de TV na véspera do segundo turno”, recordou, ressaltando que ainda assim sua candidatura foi para o segundo turno, conquistando mais de 45% dos votos.

Por fim, Luciana enfatizou que o foco dos novos gestores e parlamentares deve ser “enfrentar e resolver os problemas concretos de nossa gente”, o que inclui o combate à pandemia no âmbito municipal.

Conselhos de gestores do Executivo

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), falou sobre o cenário atípico destas eleições e frisou aos novos mandatários que ter planejamento “é a chave do sucesso”, uma vez que as demandas são gigantescas e há enorme disparidade entre as necessidades da população e os meios de viabilizá-las. “Temos visão programática e é preciso dar aderência a isso, descer a visão geral para o dia a dia do povo. Isso é decisivo”, acrescentou.

Flávio também apontou que no próximo ano as diferenças entre as metas e os meios tendem a ser ainda maiores, com mais restrições orçamentárias. Por isso, é fundamental saber quais são os objetivos principais e trabalhar com esse norte.

O terceiro ponto que destacou como vital é ter o foco nas pessoas e dar continuidade aos contatos estabelecidos durante a campanha, como forma de se manter atento ao que a população vivencia e precisa. “O bom político é especialista em gente, em sentimentos, desejos, esperanças. Nosso ofício não permite que a gente se tranque numa sala. Ter contato permanente com as pessoas é um aprendizado”, explicou.

Flávio Dino destacou a importância da probidade, de zelar pelo dinheiro e pelo patrimônio público. “Você pode perder tudo, menos a autoridade moral”, pontuou.

O vice-prefeito do Recife, Luciano Siqueira,  falou do papel do vice na administração e alertou para a importância dos gestores e parlamentares compreenderem a formação e aplicação do Plano Plurianual (PPA), da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e da Lei Orçamentária Anual (LOA). São nestes instrumentos que “os interesses fundamentais do nosso povo serão contemplados”, colocou. Ele também aconselhou “um mergulho” no estudo das políticas públicas e nos documentos do partido.

 

O prefeito de Baixo Guandu (ES), Neto Barros, também falou sobre sua experiência e sobre a importância dos estudos sobre políticas públicas para desenvolver a gestão local em consonância com a vida e com as demandas da população.

 

 

Experiência parlamentar

 

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) saudou o evento e salientou o papel do vereador e da vereadora. “Devemos ser militantes no parlamento, com um pé na Câmara e outro nas ruas para sentir o pulso da população”.

Ela completou dizendo que a presença no parlamento é “uma frente de luta, uma possibilidade de o partido ter voz e interlocução”. Alice também chamou atenção para a importância de se conhecer o funcionamento e as regras do jogo no legislativo, de se manter conectado com as direções partidárias e conhecer a realidade do povo.

 

A líder do PCdoB na Câmara, Perpétua Almeida (AC) destacou que “não há representação que nos aproxime tanto das pessoas como a de vereador. É ao vereador que o povo simples mais procura”. Ela contou que, quando ainda exercia mandato no legislativo municipal, nunca foi a uma sessão “sem antes passar nos bairros e ver a situação dos postos, das creches, das escolas, das ruas”. Perpétua salientou ainda a necessidade de ser sensível às dores das pessoas, “principalmente hoje, com a sociedade mais adoentada e sofrida, precisando ainda mais do poder público”. E concluiu: “política é solidariedade, companheirismo, é estar junto”.

 

Novos mandatos

Um dos principais momentos da reunião foi o da apresentação e saudação dos eleitos e eleitas neste ano, quando ficou explícita a diversidade acolhida e valorizada pelo PCdoB como tradução real do povo brasileiro. Cleidison Paiva, eleito vereador na cidade de Monsenhor Gil (PI), colocou: “Tivemos uma campanha muito bem organizada. Devo isso a todo o grupo do PCdoB. Vamos fazer um mandato participativo, popular e diferenciado.

Deusivan Santos, vereador mais novo eleito em Pau dos Ferros (RN), destacou que é o único representante gay já existente na Câmara da cidade. “Agradeço ao partido por abrir espaço para nós, pessoas comuns, sem dinheiro, sem estrutura política ou financeira, participarmos das eleições e sermos eleitos pelo povo. É um prazer defender as causas do PCdoB porque é um partido que se engaja nas causas do povo.

Joel Fernando, vereador e vice-prefeito eleito pelo município de Itapitanga (BA), apontou: “Na política, é preciso gostar de gente e cuidar de gente e o nosso partido tem esse DNA, vamos continuar com esse lema”. Emerson da Silva, eleito vereador em Juazeiro (BA), oriundo do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, disse: “Fizemos três vereadores de primeiro mandato. Vamos precisar estar unidos para enfrentar esse desgoverno de Bolsonaro”, bem como o PSDB que elegeu a prefeita da cidade.

Daniel Dias, vereador reeleito em Montes Claros (MG), colocou: “A disputa se deu numa cidade com uma política muito elitizada, mas conseguimos”, comemorou, enquanto Valdineia Matos, primeira mulher negra eleita vereadora em Rosário (MA), contou as dificuldades que teve na campanha e pediu mais proximidade entre os mandatos e a direção partidária. E destacou: “é um momento muito importante e novo para nós”. Jorge de Mulungu, eleito vereador na cidade de Pendências (RN), afirmou: “As políticas públicas aqui chegam muito devagar, tanto que as pessoas não confiavam mais em eleger vereador da comunidade porque quem entrava não fazia nada”.

Daiana Santos, que junto com Bruna Rodrigues se elegeu vereadora em Porto Alegre (RS), declarou: “Somos a primeira bancada negra, feminista e pensada para as comunidades. Manuela travou uma linda luta, fazendo um movimento nas comunidades de restaurar a confiança na política. Saúdo a todos os companheiros que tiveram coragem de se lançar para as candidaturas. Sabemos que não é fácil, mas é necessário porque temos de ser parte dessa mudança que a gente acredita”.

Werner Rempel, eleito vereador em Santa Maria (RS), abordou a importância de dar espaço e apoiar a formação de lideranças e quadros com vistas a 2022, especialmente os que tiveram boa votação e ficaram na suplência, como aconteceu na cidade, onde a comunista Maria Rita Dutra obteve votação superior a outros que se elegeram, mas acabou não entrando devido ao coeficiente eleitoral. Sérgio Rufino prefeito reeleito em Ipu (CE), que fez seu sucessor neste ano, Roberto Rufino, cidade onde o partido elegeu oito vereadores, agradeceu o apoio do partido e destacou a importância do poder público na vida do povo.

Cláudio Magalhães, vereador indígena de Ilhéus (BA), apontou: “Conseguimos, com esse mandato coletivo, trazer um índio para representar também o povo de Ilhéus. Em nome do povo indígena brasileiro, saúdo a todos. Quero destacar a responsabilidade que temos com o partido que nos deu esse protagonismo, mas também para as lutas populares, para os movimentos dos trabalhadores e trabalhadoras, para o resgate da boa política”.

Por Priscila Lobregatte