Para Márcio Jerry, redução de recursos para a educação é inaceitável

Protesto contra cortes na Educação em 2019. Foto: reprodução

Vice-líder do PCdoB, o deputado Márcio Jerry (MA) se uniu a outros parlamentares e entidades do setor nesta quarta-feira (16) para reivindicar um orçamento justo para a educação do país em 2021.

A perspectiva de corte é de R$ 1,8 bilhão nas chamadas despesas discricionárias para a educação – que envolvem custeio e investimentos –, o que poderá inviabilizar o funcionamento de universidades e institutos federais, justamente quando o Brasil deverá enfrentar um período de reconstrução, no pós-pandemia.

“Inaceitável redução de recursos para a educação no orçamento da União em 2021. Jair Bolsonaro não desiste de atacar a educação e não desistiremos de resistir lutando por mais recursos para a educação”, assegurou o deputado.

A redução do orçamento foi apresentada no Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) 2021, encaminhado ao Congresso Nacional pela Presidência da República no fim de agosto. Segundo o MEC, o corte ocorreu em decorrência da redução do repasse de 18,2% do Ministério da Economia à Educação frente à Lei Orçamentária Anual 2020. Esse percentual representa aproximadamente R$ 4,2 bilhões a menos para todo o ministério.

O anúncio do governo despertou a reação de 17 frentes parlamentares e 54 entidades do setor. Em um ato virtual agendado para esta quinta-feira (17), o coletivo irá reivindicar a imediata instalação da Comissão Mista de Orçamento e uma Comissão-Geral no Parlamento brasileiro para discutir meios para reverter a decisão.

 

 

(PL)