Orlando rechaça fala de Bolsonaro de que país passou bem pela pandemia

O vice-líder do PCdoB na Câmara, deputado federal Orlando Silva (SP), reafirmou, por meio de suas redes sociais nesta quarta-feira (21), sua crítica à desastrosa condução da pandemia de Covid-19 pelo governo Bolsonaro. A manifestação de Orlando foi uma resposta à declaração de Bolsonaro à rádio Jovem Pan de Itapetininga, segundo a qual o Brasil teria passado “relativamente bem” o primeiro ano da pandemia. Ele também reagiu ao alarmante número de órfãos deixados pela doença no país.

“Bolsonaro acaba de dizer que ‘passamos bem pelo primeiro ano da pandemia’. Para um genocida, a morte de 540 mil brasileiros é um triunfo”, declarou Orlando.  E acrescentou: “Seus dias estão contados. Não tem entrega do governo ao Centrão que impeça o povo de te derrubar nas ruas”.

O deputado também comentou estimativa feita pela revista científica Lancet, publicada nesta terça-feira (20), que indica haver ao menos 130.363 órfãos no Brasil devido à Covid-19. “São crianças e adolescentes de até 17 anos que perderam seus pais para a doença. Não contente em transformar o país em um cemitério, Bolsonaro também criou o maior orfanato do planeta”, disse Orlando.

O número corresponde a 2,4 órfãos para cada 100 mil menores de idade, índice que coloca o Brasil na quarta posição entre os 21 países estudados que, juntos, concentram 77% das mortes globais.

Por Priscila Lobregatte

Com agências