Nota: "Brumadinho é uma tragédia cometida pela ganância do capital"

Brumadinho MG 28 01 2019-Tragedia na cidade de Brumadinho em Minas Gerais bombeiros trabalham na localização de vitimas.Foto Ricardo Stuckert

Foto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB), por meio de sua Comissão Política Nacional externou seu “profundo pesar pelas vítimas do crime social e ambiental” cometido Vale em Brumadinho. Em nota, o partido afirma ainda que o fato não é apenas um crime ambiental e, sim, “um crime de grandes proporções contra o trabalho, uma tragédia cometida pela ganância do capital”.
Os comunistas defendem que os responsáveis sejam processados e punidos e o ‘ocorrido desperte um movimento de denúncia contra as privatizações prometidas pelo governo federal’.
Leia abaixo a íntegra da nota:

Solidariedade e pesar às vítimas de Brumadinho

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) expressa seu profundo pesar pelas vítimas do crime social e ambiental praticado pela Companhia Vale do Rio Doce na sua unidade em Brumadinho, estado de Minas Gerais. Se comprovadas as previsões das autoridades, o número de mortes no rompimento da barragem, no dia 25 de janeiro, chegará à escala de centenas. A grande maioria trabalhadores que doavam seu suor para garantir os lucros exorbitantes dos acionistas.

O PCdoB também denuncia que o ocorrido não pode ser tratado apenas como crime ambiental e, sim, como um crime de grandes proporções contra o trabalho, uma tragédia cometida pela ganância do capital. E se dá num momento em que os trabalhadores brasileiros vêm perdendo direitos, além de toda a estrutura que lhes protegia, como a Justiça do Trabalho e as instâncias que fiscalizava seus direitos.

Esses crimes sociais e ambientais são consequência do processo de privatização pelo qual passou a Vale há mais de 20 anos. Fundada por Getúlio Vargas em 1942, quando foi privatizada a Companhia formava um conjunto de 27 empresas, realizando prospecção do subsolo, transporte ferroviário extração e processamento de minérios e sofisticadas atividades de química fina.

Chama a atenção que, depois de privatizada — a Companhia foi estatal por 55 anos (1942-1997) —, a Vale cometeu dois grandes crimes dessa natureza, num curto espaço de tempo: primeiro em Mariana, em novembro de 2015, e agora em Brumadinho. Privatizada, a Companhia virou uma mera exportadora de produto primário, como minério bruto, sem nenhum compromisso com o desenvolvimento, nem com os brasileiros.

É fundamental que os responsáveis pela tragédia sejam processados e punidos. E que o ocorrido em Brumadinho desperte um movimento de denúncia contra as privatizações prometidas pelo governo federal. Empresas públicas, principalmente as estratégicas, como a Vale, que detém a exploração do nosso subsolo, devem estar a serviço de um projeto de desenvolvimento nacional e do povo brasileiro.

O PCdoB manifesta sua solidariedade e pesar aos familiares das vítimas, trabalhadores e moradores da região atingida. São mães, pais, irmãos, irmãs, esposas, esposos e demais parentes que vertem suas lágrimas pela perda trágica de entes queridos. Essas pessoas também são vítimas do crime da Vale. Além de tudo, a Companhia deve ser responsabilizada pela dor dessas pessoas traumatizadas, duramente atingidas pela tragédia.

Brasília, 30 de janeiro de 2019.

A Comissão Política Nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)