Morre telegrafista que informou a Moscou da vitória sobre os nazistas

Netupskaia mostra documento com reconhecimento do seu empenho

(Sputnik)

Dez dias após completar 100 anos, faleceu no último domingo, em Gomel, na Bielorrúsia, Liubov Netupskaia, jovem que fez história na Segunda Guerra Mundial ao telegrafar a Moscou a rendição incondicional da Alemanha nazista na noite de 8 para 9 de maio de 1945.

A telegrafista atuou na linha de frente dos embates contra as tropas nazistas (RB)

Como recorda sua filha Larissa Zunikova, aos 20 anos Netupskaia foi para o front, sendo admitida – após muita insistência – em um batalhão telegráfico da reserva. Ali conseguiu se formar entrando no exército ativo dois anos depois e, finalmente, enviada à sede da 1ª Frente Bielorrussa. Com inumeráveis méritos, participou da libertação da Bielorússia, da Polônia e da Alemanha, tendo entrado em Berlim no dia da sua captura, em 2 de maio de 1945.

Pela firmeza da sua conduta, a jovem foi reconhecida com as “Ordens da Estrela Vermelha” e da “Guerra Patriótica”, sendo premiada com as medalhas “Pela libertação de Varsóvia”, “Pela captura de Berlim” e “Pela vitória sobre a Alemanha”.

“Mamãe se foi em paz. Ela foi enterrada em Dobrutch [região de Gomel], a terra natal de meu marido”, relatou Larissa Zunikova.

Nascida na região de Moscou, Netupskaia Liubov tinha 20 anos quando a guerra eclodiu. Ao concluir os estudos no Instituto da Biblioteca Estatal da capital russa, em apenas dois meses, conseguiu se formar como telegrafista.

Condecorada com inúmeras distinções, mudou-se com a família para a Bielorrússia, então parte da União Soviética, nos anos 1980.