“Momento é crítico, mas de resistência”, diz Daniel Almeida

Orlando Silva (PCdoB-SP), Bruna Brelaz (UNE) e Daniel Almeida durante manifestação dia 15 de maio.

O líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, Daniel Almeida (BA), avalia o atual quadro político brasileiro como crítico. “O Brasil está imerso num dos momentos mais complicados desde o golpe de Estado de 1964, que iniciou a ditadura militar. Mas vamos lutar pela educação”, escreveu o líder no Twitter.

Para Daniel Almeida, as manifestações convocadas pela União Nacional dos Estudantes (UNE) para o dia 30 são fundamentais para seguir a luta contra o desmonte da educação.

Segundo ele, serão manifestações maiores ainda. “Para que a ciência volte a ser valorizada é preciso sair dos laboratórios”, disse.

“Desde o início do governo Bolsonaro, a educação passa por paralisação, trocas de nomes, disputas internas, falta de projetos e tentativas de ideologização. O corte de R$7,9 bilhões foi a gota d’água que virou o tsunami”, argumentou.

Afirmou que educação não é gasto, é investimento. “É o futuro da nossa juventude e o presente do nosso país”, diz.