Luciana Santos: "SUS é um dos maiores patrimônios do povo brasileiro"

A presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, durante o 6º Encontro Nacional de Saúde do Partido

Com a participação da presidenta nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, terminou nesta sexta-feira (29) o 6º Encontro Nacional de Saúde do PCdoB, em São Paulo (SP). A defesa enfática do Sistema Único de Saúde (SUS) foi uma das marcas dos debates e pautou um ato político durante a programação. “O SUS é um dos maiores patrimônios do povo brasileiro. Sua política de vanguarda foi construída a muitas mãos e por muitas gerações”, afirmou Luciana.

Por André Cintra

De acordo com a dirigente comunista, o caráter universal do SUS o transforma não apenas numa “política pública decisiva” – mas também na experiência mais avançada que se conhece em termos de saúde pública. “Nenhum lugar do mundo tem um sistema de saúde tão democrático como o nosso”, enfatizou Luciana.

O PCdoB, defensor histórico do SUS, tem casos bem-sucedidos em iniciativas na gestão pública de saúde. “Os comunistas foram os ideólogos, por exemplo, da farmácia popular. Para essa inovação ser vitoriosa, entramos em confronto até com a indústria farmacêutica”, lembrou a presidenta do Partido.

Quando foi prefeita de Olinda (2001-2008), a própria Luciana liderou projetos originais e audaciosos. Exemplo de medida de destaque foi a criação de uma política específica para a população negra, com foco na prevenção e no tratamento da anemia falciforme.

Para a dirigente, “comunista tem de ser bom de luta, de ideias, de compromisso com o povo – mas também tem de sabe fazer. Se assumimos funções pública, temos de responder à altura”, resumiu Luciana.

Essa tarefa é ainda mais relevante em tempos de resistência ao neoliberalismo e ao desmonte de políticas públicas. “Em outro momento, ajudamos a garantir 25% dos royalties do pré-sal para a saúde. Hoje, nossa tarefa é evitar retrocessos e defender a democracia”, disse Luciana.

Na opinião do PCdoB, o governo Jair Bolsonaro deve ser entendido dentro de um contexto de avanço da extrema-direita em diversos países do Ocidente. Porém, essa ascensão conservadora enfrenta cada vez mais reações e derrotas. “O Brasil e o mundo têm demonstrado que há luta contra esse tipo de agenda – que é ultraliberal na economia, retrógrada nos costumes e autoritária na política.”

Por isso, diz Luciana, as forças democráticas e progressistas devem se unir, em amplas e representativas frentes, para enfrentar o bolsonarismo já nas eleições municipais de 2020. “É hora de derrotar Bolsonaro de norte a sul do Brasil”, conclamou Luciana. “Nosso compromisso com as causas populares e nacionais deve se traduzir também num partido forte – o que passa pela disputa eleitoral.”

O Encontro

Com cerca de 170 participantes, de todas as regiões do País, a sexta edição do Encontro Nacional de Saúde do PCdoB foi elogiado por Luciana Santos. “Todos os relatos que tive apontam para um Encontro riquíssimo, que cumpriu todos os objetivos. E estamos debatendo um tema dos mais importantes. A Saúde mexe indistintamente com a vida das pessoas – das mais pobres e das mais ricas”, analisou.

A programação teve como ponto de partida um documento-base, conforme Ronald Ferreira dos Santos, novo coordenador da Comissão Nacional de Saúde do PCdoB. “É um conjunto extenso de reflexões, que subsidiará os debates do Partido na área de Saúde. O texto vai incorporar muitas da experiências e ideias que foram trazidas pelos camaradas a esse Encontro.”