Jandira Feghali: 365

O abraço de Lula em Jandira Feghali ao se despedir no dia 7 de abril de 2018

Foto: Ricardo Stuckert

O 7 de abril de 2018 fincou no calendário da luta democrática a exigência pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Aquele fatídico dia no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP), foi um misto de tristeza e revolta por tamanha injustiça. Sem provas, um dos maiores líderes mundiais fora preso num cerco agressivo e bem planejado pelos poderosos.
Por Jandira Feghali*
O projeto de sua prisão, fomentada por uma mídia inescrupulosa e justiça seletiva, saciou o desejo de retirá-lo do cenário político brasileiro. Líder nas pesquisas, Lula seria, com grande probabilidade, o atual presidente se tivesse disputado as eleições de 2018. As estatísticas eleitorais à época e a vontade popular registravam isso. Mas o flagrante desrespeito à Constituição Federal e a violação do Estado Democrático de Direito mudaram o rumo da História.

Nós nunca sentimos tanto a falta de Lula como nos últimos 100 dias. Viver sob o Governo Bolsonaro escancara nossa revolta mais profunda com tudo que se sucedeu nos últimos meses diante de tantas conquistas na última década. Enxergar o desmonte de políticas estratégicas, o fim de um projeto popular iniciado com Lula, em 2002, o retrocesso nas relações internacionais, na garantia de direitos individuais e coletivos, no ataque aos trabalhadores e camadas mais populares… são mudanças inaceitáveis. Cenário que nos afronta, nos inquieta, nos leva à intensa luta política contra tantos passos para trás.

Lutar pela liberdade de Lula é lutar contra um sistema injusto que o aprisionou e o retirou do convívio e contato com o povo, do carinho daqueles que o ama, do seio familiar. É lutar pela recuperação democrática, da presunção da inocência, do direito amplo de defesa, do devido processo legal, da despolitização da justiça.

Mas diria que é também lutar contra a onda de destruição do povo e ódio que chegou ao Palácio do Planalto liderada por uma campanha repleta de farsa e fake news. Levando ao mais alto posto do poder público uma figura que só irradia repulsa e envergonha a todos. Até em muitos que chegaram a optar por esse caminho no ano passado, como se vê em inúmeros relatos nas redes sociais dos chamados “arrependidos”.

365 dias. Hoje e nos próximos dias manteremos mais alta e erguida a bandeira pela liberdade de Lula nas metrópoles e periferias, no campo e nas cidades, exaltando o direito à democracia e liberdade de Lula, de pensar, de criar, de manifestar, de lutar, de amar, de divergir, de viver!

Lula Livre!

*Jandira Feghali é médica, deputada federal (PCdoB-RJ) e líder da Minoria na Câmara dos Deputados.