Irã ajudará Cuba a produzir vacina contra a Covid-19

(Crédito: Joaquin Hernandez AFP)

O diretor-geral do Instituto Finlay de Vacinas (IFV), Vicente Vérez Bencomo, anunciou que, a partir da próxima semana, os governos do Irã e de Cuba produzirão juntos “milhões” de doses da Soberana 02 – a vacina cubana contra a Covid-19.  Em entrevista coletiva na terça-feira (27), Bencomo afirmou que ambas as nações vão utilizar os “conhecimentos e plataformas” que dispõem para produzir a “PastuCovac”, nome que o imunizante receberá no Irã.

“É a primeira vacina conjugada contra a Covid-19 do mundo”, afirmou Vérez, que estava ao lado de Alireza Biglarí, gerente do Instituto Pasteur iraniano. Vacinas conjugadas são imunizantes desenvolvidos com base em uma plataforma que promete uma resposta imunológica mais forte quando em contato com o vírus.

Segundo Vérez, o Instituto Finlay tem experiência na produção de vacinas conjugadas para crianças, por isso que foi decidido usar essa plataforma para desenvolver as doses contra o novo coronavírus. De acordo com o jornal cubano Cubadebate, já existia uma colaboração entre os dois institutos, Finlay e Pasteur, na produção da vacina pneumocócica conjugada e na transferência desta tecnologia para o Irã.

O imunizante tem sido desenvolvido conjuntamente há um ano e se encontra, agora, em suas etapas finais de ensaios clínicos, na terceira fase da produção. Graças a essa cooperação anterior, os países conseguiram avançar rapidamente para trabalhar na fabricação de um novo projeto de imunizante. Conforme Vérez, para a produção de uma vacina, do zero até sua industrialização, são necessários cerca de 15 anos, mas foi realizada “todas as etapas em um ano”, e as evidências “mostram que funciona muito bem”.

Nesta quinta-feira (29/07), o governo do Vietnã também expressou interesse em intensificar a cooperação com Cuba em ensaios clínicos, licenciamento, fornecimento e transferência de tecnologia para a produção de vacinas contra a covid-19. A mensagem foi transmitida pelo primeiro-ministro Pham Minh Chinh ao receber o embaixador cubano Orlando Hernández Guillén no país.

Chinh elogiou os avanços cubanos no desenvolvimento de imunizantes e apresentou os projetos de vacina de seu país, que está trabalhando com três candidatas. Já a ilha socialista, conta com seis projetos de vacina em desenvolvimento, sendo elas Soberana Pediátrica, Soberana 01, Soberana 02, Soberana Plus, Mambisa e Abdala.

Com informações do Opera Mundi