Governo búlgaro cai após submissão a sanções dos EUA contra Rússia

Submisso aos EUA, governo de Kiril Petkov é afastado após crise por negar-se pagar o gás russo

(Reprodução)

O governo da Bulgária, comandado pelo primeiro-ministro neoliberal Kiril Petkov, caiu nesta quarta-feira (22). O partido Cidadãos pelo Desenvolvimento Europeu da Bulgária (GERB), liderado pelo ex-primeiro-ministro Boyko Borissov, na oposição, fez a proposta, uma moção de censura pelo parlamento.

Borissov denuncia “o fracasso da política econômica e financeira do governo”, em um contexto de forte aumento de preços e desemprego.

O país teve três eleições no ano passado, e agora entra em uma nova crise política.

O texto foi aprovado por 123 deputados de um total de 240 cadeiras, informou o vice-presidente do parlamento, Miroslav Ivanov. A mídia búlgara descreveu o ocorrido como o primeiro voto de desconfiança bem-sucedido na história moderna do país. A Bulgária tem 6,5 milhões de habitantes e é, no atual momento, o país mais pobre da União Europeia.

Após a votação, Petkov, que se formou na Universidade de Harvard, nos EUA, tentou abafar o fracasso de sua política acusando o principal partido da oposição que apoiou a moção, o Revival, de ser um canal para “interesses russos” e o vice-líder do partido GERB, Daniel Mitov, denunciou que a tentativa de Petkov de culpar a Rússia pela lamentável situação do país foi apenas “um jeito de procurar um álibi” para sua queda.

O voto de desconfiança foi tecnicamente causado quando o partido Este Povo Existe (ITN), liderado pelo ex-apresentador de TV, Slavi Trifonov, se afastou da coalizão governante de Petkov devido a disposição do governo de apoiar a tentativa da vizinha Macedônia do Norte de ingressar na União Europeia, atendendo a pressão dos Estados Unidos.

A ruptura na coalizão governante ocorreu em meio a crescentes dificuldades econômicas, aprofundadas pela postura russofóbica de Petkov que levou a Bulgária a ter 90% de seu fornecimento de gás natural cortado.

Apesar de sua forte dependência da energia russa, o governo rechaçou o pedido do Kremlin de abrir uma conta em rublos para pagar o gás e, como resultado, sofreu um corte nas entregas.

O presidente Rumen Radev tem direito a três tentativas de nomear um novo governo. Se todas falharem, ele terá que dissolver o parlamento e convocar uma nova eleição geral – a quarta desde abril de 2021.

Petkov é formado em finanças pela University of British Columbia e possui MBA por Harvard. Ele tinha cidadania canadense e alegou ter renunciado a ela em abril de 2021 para se tornar ministro da Economia no gabinete anterior, mas acabou sendo desqualificado quando ficou conhecido que o procedimento não havia sido finalizado até agosto. Ele fundou o partido Continuamos a Mudança (PP) com seu colega de Harvard, Asen Vasilev, em setembro de 2021 e tornou-se primeiro-ministro em dezembro, com o apoio de 134 parlamentares e 104 contrários.

Em fevereiro, Petkov demitiu o ministro de Defesa Stefan Yanev, acusando-o de promover “narrativas russas” depois dele ter se referido ao conflito na Ucrânia como uma “operação militar” e não uma guerra. Seu governo também prometeu contribuir com a reparação do equipamento militar ucraniano e apoiar uma maior presença da Otan no leste.