Governo Bolsonaro reduz salário mínimo de R$ 1079 para R$ 1067 em 2021

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O Ministério da Economia divulgou valor de R$ 1.067 para o salário mínimo em 2021. O valor é R$ 22 maior que o salário mínimo atual, de R$ 1.045. A proposta é parte do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para 2021.

A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, reduziu o valor em comparação aos R$ 1.079 que haviam sido informados em abril, no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Anuais (PLDO). O argumento para a redução é que o governo prevê uma inflação menor para 2020.

Em abril, o Ministério da Economia projetava variação positiva de 3,19% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Agora, a previsão mudou para 2,09%.

Já para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a pasta previa variação positiva de 3,65% em abril, agora alterada para 3,24%.

Vale lembrar que, com a correção pela inflação, a remuneração mínima da economia fica sem aumento real.

Fim da política de valorização

Com a nova política de correção para o salário mínimo, prevendo apenas o ajuste pelo INPC, o governo de Jair Bolsonaro pôs fim à política de valorização do salário mínimo iniciada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Até o ano passado, a correção se dava pela inflação mais o Produto Interno Bruto (PIB) do ano anterior. Caso o modelo estivesse vigente este ano, por exemplo, o aumento teria de considerar, além da inflação, o crescimento de 1,1% do PIB em 2019. O PIB é a soma dos bens e riquezas produzidos pelo país ao longo de um ano. (Por Mariana Branco)