Flávio Dino critica invenção de Bolsonaro sobre relatório do TCU

Foto: Brunno Carvalho/Site do Governo do Maranhão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) criticou, nesta quarta-feira (9), a atitude de Bolsonaro de aventar que o número de mortes causadas pela Covid-19 teria sido propositalmente inflacionado pelos estados. Flávio também rechaçou a fala do presidente sobre suposto relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que questionaria as notificações.

Flávio Dino destacou, via redes sociais: “Inventar genericamente uma ‘supernotificação’ de óbitos por coronavírus agride os médicos que assinaram os respectivos atestados. E tenta minimizar a doença que já matou quase 500 mil brasileiros. É o criminoso voltando ao local do crime: o discurso da ‘gripezinha’”.

O governador disse, ainda, que “não é uma ‘gripezinha’ atacando o regime democrático. É uma gravíssima doença, que pode matar as instituições. O episódio da falsificação relativa ao Tribunal de Contas da União prova isso mais uma vez. Afinal, fake news não é piada nem ‘descuido’; é ato de bandidos”.

Na segunda-feira (7), Bolsonaro disse que relatório do TCU levantaria questionamentos quanto ao número de mortes por Covid-19. No mesmo dia, a corte desmentiu o presidente. Por meio de nota, afirmou: “O TCU esclarece que não há informações em relatórios do tribunal que apontem que ‘em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid’, conforme afirmação do Presidente Jair Bolsonaro divulgada hoje”.

Ainda assim, na terça-feira (8), Bolsonaro, mesmo reconhecendo o “erro”, continuou insinuando que houve supernotificação, mencionando como “indício fortíssimo” vídeos de WhatsApp.

 

 

Por Priscila Lobregatte

Com agências