Dino critica vídeo nazista e pede providência a Congresso e Judiciário

Flávio Dino reforça a ideia de que o secretário de Bolsonaro cometei crime de estímulo à ideologia de ódio

Foto: divulgação

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), considerou grave o conteúdo do vídeo gravado pelo secretário de Cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim, no qual ele cópia trecho do discurso do ministro da Propaganda de Hitler, Joseph Goebbels, para falar sobre o lançamento do Prêmio Nacional das Artes.

“Um vídeo nazista não é apenas ridículo. É perigoso e ilegal. Desrespeita os judeus no mundo inteiro, inclusive no Brasil. Deve ser objeto de repúdio e de providências no Congresso Nacional e no Poder Judiciário”, escreveu no Twitter o governador.

Ele também retuitou a seguinte postagem do engenheiro gaúcho Milton Seligman: “O Secretário de Cultura, Roberto Alvim cita o filósofo nazista Goebbels, ao som de Wagner, o músico predileto de Hitler. Não me interessa a motivação dessa autoridade. Entendo que foi crime de estímulo à ideologia de ódio. Espero que o Ministério Público se pronuncie.”