Dimas Covas diz que Butantan estuda doar CoronaVac a países africanos

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas

(Jefferson Rudy/Agência Senado)

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, avaliou, durante entrevista à coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, que o Brasil deverá receber a nova variante da Covid-19, nomeada de Ômicron.

Segundo Covas, é possível que a variante identificada inicialmente na África do Sul, já esteja circulando no país. “Resta saber se será contida”, afirmou o presidente do Instituto Butantan.

Covas lista medidas necessárias para conter a variante que ainda não foram tomadas ou que demoraram a ser implementadas, como o bloqueio de transmissão com ações não farmacológicas e vacinação em massa na África.

“O Brasil e os demais países dependem de medidas locais e regionais”, diz Covas, que também pede controle de entrada e quarentena dos que viajam da África para o Brasil. “Também não vejo isso sendo adotado”, criticou.

Covas ainda destacou que o Instituto estuda fazer doações de vacinas CoronaVac a países africanos para apoiar a vacinação no continente, que está com menor índice de imunização mundial.

Segundo a OMS, a vacinação é a única maneira eficiente de barrar a proliferação de variantes.