Deputados repudiam irregularidades na aplicação da vacina da Covid

Foto: reprodução

A vacinação contra a Covid-19 em Manaus foi suspensa nesta quinta-feira (21), depois que parentes de empresários locais postaram fotos sendo vacinados e foram acusados de “furar fila”. A medida foi anunciada em meio à investigação do Ministério Público do Amazonas sobre suspeita de irregularidades na aplicação da vacina.

Outras irregularidades estão sendo investigadas no Pernambuco, onde o Ministério Público deflagrou na quarta (20) uma série de ações para intensificar a fiscalização da vacinação e descobrir quem furar a fila.

As denúncias de que médicos e enfermeiros na linha de frente do combate à pandemia ainda não receberam vacinas, enquanto pessoas que não fazem parte dos grupos prioritários já foram imunizadas, causou indignação.

A deputada Professora Marcivânia (PCdoB-AP) usou suas redes sociais para lamentar que, ante a uma boa notícia, como foi o início da vacinação no Brasil, ver gente “furando a fila da vacina” é uma demonstração de que ainda há muito para avançarmos e a combater em nosso País.

“Furar a fila da vacinação é não somente um péssimo exemplo, como também é inaceitável e deve ser combatido pelas instituições. De nossa parte, vamos pressionar no parlamento para que os responsáveis sejam punidos e para criar procedimentos que impeçam a sua continuidade”, afirmou.

Segundo o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), uma das razões que levaram o Brasil ao atoleiro em que o País se encontra “é a sordidez de nossas elites”. “A baixaria de furar a fila da vacina é tão covarde que dá náusea. Em uma cidade sem oxigênio para doentes terminais tem filhinho de papai passando na frente. Canalhas e hipócritas!”, escreveu o parlamentar em sua conta no Twitter.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) também reagiu com indignação. “Profissionais da linha de frente estão ficando sem vacina???”, questionou.

Amazonas

O governo do estado alegou que a suspensão da vacinação em Manaus ocorreu para replanejamento da campanha. O objetivo, agora, é discutir os critérios que definirão quais profissionais de saúde e de quais unidades têm prioridade para receber as primeiras doses, já que a quantidade de vacinas disponibilizadas pelo governo federal é insuficiente.

A previsão é que os trabalhos sejam retomados na sexta-feira (22).

Pernambuco

As investigações sobre irregularidades estão sendo feitas no Recife, em Jupi e Sairé, no Agreste, e em São José do Egito, no Sertão. Segundo o procurador-geral de Justiça do estado, Paulo Augusto Freitas, os infratores podem ser punidos até com detenção e multa.

As Promotorias de pelo menos seis estados do Nordeste abriram investigações para apurar relatos de pessoas que furaram a fila da vacina contra a Covid-19 nos primeiros dois dias de imunização. Além do Pernambuco, casos foram registrados no Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Bahia.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios também recebeu relatos de que servidores que não integram o grupo prioritário de imunização de Covid-19 foram vacinados na capital federal.

 

(PL)