Deputados do PCdoB apoiam união de forças democráticas contra fascismo

Dois manifestos da sociedade circularam neste final de semana com grande repercussão em defesa da democracia e contra o fascismo. Um deles, o manifesto “BASTA” reuniu 600 advogados que reagiram com veemência aos ataques de Bolsonaro contra a democracia.

O outro, com 230 assinaturas, intitulado “Somos Muitos”, reuniu figuras políticas como Flávio Dino e Manuela d’Ávila; ambos do PCdoB; Fernando Haddad (PT); Fernando Henrique Cardoso (PSDB); artistas; intelectuais e outras personalidades.

Em resposta a um de seus seguidores, o deputado Orlando Silva (PCdoB) definiu quem são os participantes do movimento.

“Irmão, quem devemos unir? Quem está no campo progressista hoje? Quem for pela democracia? Quem se opõe a Bolsonaro? Um abraço no amigo”, respondeu o deputado.

A deputada Jandira Feghali destacou que o movimento antifascista está sendo atacado.

“A nossa ‘criativa’ extrema-direita vai seguir na prática lambe-botas e adotar a criminosa cartilha do Trumpismo chamando o movimento antifascista de terrorista. Terrorista é quem ataca a democracia, os direitos individuais, as instituições”, criticou.

No domingo (31), Jandira também compartilhou foto de torcedores do Flamengo nas ruas do Rio de Janeiro, contra o fascismo.

Orlando Silva publicou os escudos dos maiores times de São Paulo, com a inscrição contra o fascismo, declarando “orgulho” da iniciativa. A passeata que reuniu torcedores de Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo na Avenida Paulista foi a maior do país.

Noutro momento, escreveu: “As torcidas antifas deram um importante recado hoje: há limites para tudo. E o limite é a democracia!”

A líder da bancada, Perpétua Almeida, usou suas redes para falar da truculência da política com os manifestantes contra o fascismo na Paulista.

Somos 70%

O economista Eduardo Moreira também criou o movimento “Somos 70%” para enfatizar que os apoiadores de Bolsonaro são minoria e que 70% da população brasileira rejeitam ou simplesmente não apoiam o presidente.

“Somos 70% contra o fascismo, contra o armamento da população, contra o genocídio e a favor da democracia. Somos os 70% que acham Bolsonaro Péssimo/Ruim/Regular; que apoiam medidas de isolamento e os mais de 70% sabem que a terra é redonda! #Somos70porcento”, escreveu no Twitter a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).