Deputado dos EUA: “é loucura apostar na guerra com potência Russa"

Deputado Matt Gaetz (republicano): “O povo americano é deixado no escuro”

(AP)

Matt Gaetz, um congressista republicano da Flórida, emitiu uma dura advertência ao governo dos EUA em discurso na Câmara dos Deputados sobre o “perigoso consenso bipartidário” existente que leva Washington à “guerra com a Rússia”, registrou a RT.

“Há um ano, perdemos uma guerra contra pastores de cabras armados de fuzis. Agora corremos para lutar contra uma nação que possui 6.000 ogivas nucleares”, declarou Gaetz, referindo-se ao Afeganistão e à tomada do poder pelo Talibã em agosto do ano passado. Ele alertou que brincar “com uma potência nuclear é uma loucura”.

O parlamentar rechaçou recentes declarações de outro congressista, Seth Moulton, que, falando sobre os combates na Ucrânia, afirmou que os EUA estão “em guerra com a Rússia”.

“Se estamos em guerra, como diz o congressista Moulton, por que não votamos autorizando o uso da força militar?”, questionou Gaetz.

“Ou vamos operar na Ucrânia como fizemos no Iêmen e em todo o mundo: guerras nunca declaradas?”, continuou. Na opinião de Gaetz, muitos legisladores não vão querer nenhuma votação ou debate sobre isso “porque seu objetivo real é a mudança de regime na Rússia, não a defesa da Ucrânia”.

Ele também lamentou que agora questionar as ações do governo dos EUA na Ucrânia torne alguém automaticamente um “traidor” e se referiu, ainda, à histeria que tomou conta dos círculos dirigentes dos EUA.

“Serviços clandestinos deveriam ser profissionais sigilosos. Agora eles não conseguem parar de se gabar para a mídia sobre como os EUA ajudaram a Ucrânia a assassinar generais russos e afundar a nau capitânia da Rússia”. Como se quisessem sondar “a linha vermelha nuclear de Putin”, acrescentou, dizendo-se preocupado com “armas nucleares, não tanques danificados”.

O parlamentar também se referiu à hipocrisia e aos padrões duplos na política dos EUA, onde “os democratas estão engajados na caça diária à supremacia branca” enquanto “não há problema em dar mísseis aos verdadeiros supremacistas brancos na Ucrânia”.

Nesse contexto, ele lembrou que muitas armas enviadas pelos EUA acabam nas mãos do batalhão Azov – “40 democratas na Câmara dos Deputados os chamavam de organização estrangeira neonazista e terrorista há apenas três anos” – que agora aparentemente não é tão ruim quanto parecia.

Para Gaetz, o Congresso está disposto a “enviar bilhões [de dólares] para Kiev que encherão os bolsos de funcionários corruptos”, exatamente como aconteceu no Afeganistão. “Estamos entrando em guerra como sonâmbulos e o povo americano é deixado no escuro”, concluiu.