Debandada: mais cinco membros do ministério de Guedes pedem demissão

O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

(Crédito: Marcelo Camargo Agência Brasil)

O subsecretário de assuntos fiscais da Secretaria de Orçamento da pasta, Luiz Guilherme Pinto Henriques, pediu demissão do Ministério da Economia. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), nesta terça-feira (25). É o quinto demissionário do governo só no início deste ano.

Segundo o jornal O Globo, está prevista para os próximos dias a saída do subsecretário de Gestão Orçamentária da pasta, Márcio Luiz de Albuquerque Oliveira.

A dança das cadeiras foi grande desde a saída do então secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, em 2020. Em outubro do ano passado, os secretários de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram demissão dos respectivos cargos.

No mesmo período, a secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araújo, também pediram exoneração de seus cargos, assim como o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Coelho.

Na semana passada, mais três quadros técnicos que deixaram suas funções incluem-se na debanda do ministério: o secretário de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Cristiano Rocha Heckert; o secretário de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria, vinculada à Secretaria do Tesouro, Gustavo José de Guimarães e Souza; e o diretor de Programa da Secretaria da Receita Federal, Mauro Sergio Bogea Soares.

As exonerações, a pedido, estão publicadas no Diário Oficial da União de quarta-feira (19) e mostram um esvaziamento cada vez maior do governo Bolsonaro.