Câmara condecora ex-deputado Aurélio Peres

Foto: Richard Silva/PCdoB na Câmara

A Câmara dos Deputados entregou nesta quarta-feira (24) a Medalha Mérito Legislativo, reconhecimento destinado a pessoas e entidades que prestaram serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil. Ao todo, 32 autoridades e personalidades públicas foram agraciadas.

Entre os condecorados, o ex-deputado Aurélio Peres, que se destacou nas lutas dos movimentos populares e sindical contra a ditadura nas décadas de 1970/80 e cumpriu dois mandatos na Casa, entre 1979 e 1987.

A indicação para a homenagem do legislativo ao comandante de grandes lutas populares partiu do líder da Bancada do PCdoB, deputado Renildo Calheiros (PE).

“O Aurélio é uma das lideranças sindicais mais importantes do país, que sempre teve seu trabalho muito ligado ao povo nos momentos mais difíceis que vivemos. Ele foi eleito com a força desse povo e se tornou uma referência para todos nós. Por isso, é importante que a Câmara faça essa homenagem”, afirmou o parlamentar.

Renildo destacou a importância da trajetória de Aurélio Peres no movimento popular, assim como sua intensa atuação parlamentar, “que têm um significado muito grande para a democracia e a história do Brasil”.

O ex-deputado foi representado na cerimônia pela filha, Leni Peres. Emocionada, ela considerou que a condecoração é simbólica por refletir o momento que passa o país.

“O mandado dele foi uma luta pela democracia, e esta homenagem vem em um momento de luta, que se parece muito com o que o país vivia naquela época. Sua candidatura teve o como propósito a formação de uma frente contra a ditadura. É o que o momento exige”, disse.

Homenageado

Aurélio Peres se elegeu deputado federal a primeira vez em 1978, pelo MDB, com uma surpreendente votação para quem fez a campanha praticamente sem recursos.

Na Câmara dos Deputados, ele se destacou como umas das vozes atuantes na defesa dos trabalhadores e no combate à ditadura militar. Na campanha pela anistia, Aurélio percorreu o país junto com o senador Teotônio Vilela, defendendo a volta da democracia e denunciando os crimes do regime.

Em 1982, já militando no então clandestino Partido Comunista do Brasil (PCdoB), se reelegeu pela sigla PMDB. No decorrer do mandato, participou com destaque da campanha das “Diretas já!” e do movimento que elegeu Tancredo Neves presidente da República.

Ao longo de sua vida teve uma profícua atuação nos movimentos populares e sindical, ativismo que não abandonou quando exerceu seus dois mandatos na Câmara dos Deputados.

Medalha

Criada em 1983, a Medalha Mérito Legislativo destina-se a distinguir e condecorar autoridades, personalidades, instituições ou entidades, campanhas, programas ou movimentos de cunho social, civil ou militar, nacionais ou estrangeiros, que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil.

O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), abriu a sessão solene de entrega da premiação, que consiste, além do reconhecimento público, na entrega da medalha e um diploma de menção honrosa aos agraciados.

 

Por Walter Félix

 

(PL)