BC dos EUA mantém juro básico entre zero e 0,25%

Para o presidente do FED (foto), o país ainda está longe de se recuperar do impacto da pandemia

(Leah Millis/Reuters)

O Federal Reserve (Banco Central norte-americano) manteve a taxa de juros básica em níveis ultrabaixos, entre zero e 0,25%, com o presidente Jerome Powell enfatizando que a instituição “sustentará a economia pelo tempo que for necessário” e que o país ainda está longe de se recuperar do impacto da pandemia de Covid-19.

“A economia está longe dos objetivos nos setores de emprego e inflação e será preciso tempo para que novos progressos substanciais sejam realizados”, destacou Powell durante coletiva de imprensa após a reunião do FOMC na quarta-feira, 17. O Fed sustentará a economia “pelo tempo que for necessário”, assegurou.

A nota do Comitê de Política Fiscal, que tomou a decisão de manter os juros ultrabaixos, acrescentou, ainda, que “o ritmo da economia dependerá da evolução do vírus, inclusive os progressos no campo da vacinação” – ainda que a vacinação tenha avançado muito desde a mudança de governo e a meta de aplicar 100 milhões de doses da vacina foi alcançada com um mês de antecedência.

Pelo informe do Fed, o juro em torno de zero deverá continuar assim ao longo do ano inteiro e, inclusive, em 2022. Aliás, apenas 1 de 18 integrantes do Comitê disse ver a necessidade de aumento de juro em 2023! (eram cinco em janeiro).

Caso os juros fossem aumentados, a reativação da economia seria abortada, tanto pelo lado do consumo, quanto da alta do custo da produção, e o desemprego, ainda enorme, se agravaria.

Pior, muitas empresas seriam levadas à falência, pela incapacidade de fazerem frente ao serviço da dívida aumentado.

Já há até um termo para nomear empresas nessa situação, as “empresas zumbis”, que só estão à tona por causa dos juros ultra baixos. Também muitas corporações seguem usando os juros baixos para artfifícios especulativos: fizeram os chamados empréstimos alavancados, para usar o dinheiro para recomprar as próprias ações e se ‘valorizarem’ artificialmente na Bolsa.

Segundo o Fed, os setores mais afetados pela pandemia “continuam frágeis”, embora considere que os indicadores que medem a atividade econômica e o emprego se recuperaram recentemente.

A inflação “segue abaixo da nossa meta de 2%” de longo prazo, disse Powell, que considerou que aumentos pontuais teriam “efeito temporário na inflação.”

A previsão de crescimento (sobre o patamar de ‘fundo do poço’ do ano passado) subiu para 6,5%, contra estimativa em janeiro de 4,5%. No ano passado, o PIB caiu 3,5%. A decisão do Fed seguiu em paralelo à entrada em vigor do pacote de ajuda emergencial de US$ 1,9 trilhão (equivalente a 9% do PIB) e com 100 milhões de norte-americanos vacinados com pelo menos a primeira dose.