AstraZeneca busca elevar eficácia de sua vacina e recorre a Sputnik V

No Instituto Gamaleya, onde foi desenvolvida a Sputnik V

(Alexander Zemliachenko Jr/AP)

Os centros de produção da vacina russa, Sputnik V e da inglesa AstraZeneca firmaram, nesta segunda-feira (21) um memorando pelo qual acordam em realizar testes com a combinação dos dois imunizantes.

Os desenvolvedores da Sputnik V, do Centro de Investigação de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e seus investidores, do Fundo de Investimentos Diretos Russo (RDIF), sugeriram aos responsáveis pelo desenvolvimento e fabricação da AstraZeneca a combinação das duas vacinas no esforço de elevar o nível de eficácia da AstraZeneca, que apresentou resultados oscilantes em uma faixa larga.

Segundo pesquisadores da vacina AstraZeneca, sua eficácia média é de 70%. As conclusões dos testes apontam que, aqueles aplicados com duas doses plenas mostraram eficácia de 62%.  Já os que receberam meia dose na primeira aplicação e uma dose inteira na segunda teriam desenvolvido uma capacidade imunizadora em 90% dos casos.

Pesquisadores russos explicam que, ambas as vacinas usam um vetor viral para conduzir o processo de formação de anticorpos, pela introdução, nestes vetores de uma parte do material genético do coronavírus. Este material, não causa a doença, mas gera uma resposta do sistema imunológico. No caso da vacina russa, são dois vetores (um para cada uma das duas aplicações) desenvolvidos a partir de vírus em humanos na forma atenuada (adenovírus).

Utilizada por décadas pelos russos, essa tecnologia tem demonstrado segurança em mais de dez milhões de pessoas vacinadas.

A vacina da AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, os adenovírus usados nas duas doses são iguais, já na Sputnik V, o uso de adenovírus distintos, tem mostrado uma eficácia maior da vacina russa. Portanto, a finalidade é estudar a imunogenicidade, a eficácia, a segurança, do uso combinado da vacina inglesa e da Sputnik V.

“Este exemplo único de cooperação entre os cientistas de diferentes países que lutam juntos contra o coronavírus, vai ter um papel decisivo para obtenção de uma vitória final sobre a pandemia global. A vacina russa Sputnik V já está salvando vidas na Rússia, hoje através de um programa de vacinação em grande escala. A decisão da AstraZeneca de realizar testes clínicos usando um dos dois vetores da Sputnik V para elevar a eficácia de sua vacina é um importante passo para unir forças no combate à pandemia”, afirma o diretor geral do RDIF, Kirill Dmitriev. Ele continua: “Nós saudamos este novo estágio de cooperação entre produtores de vacinas, estamos determinados a desenvolver esta parceria no futuro e iniciar a produção conjunta após a nova vacina demonstrar sua eficácia durante os testes clínicos. Esperamos que outros produtores de vacina sigam nosso exemplo”, finalizou Kirill.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, também expressou a esperança de uma parceria bem-sucedida com a farmacêutica AstraZeneca, “vocês passaram a atuar depois de dialogar. Deram início à realização dos desafios enfrentados pelo mundo e a Humanidade hoje, sem qualquer exagero. Eu, primeiramente, os felicito por isso. Em segundo lugar, espero que essa cooperação seja bem-sucedida”, declarou Putin durante videoconferência.